Green Bay Packers @ New England Patriots – Preseason

Marco Castro 14 de Agosto de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comments
Packers vs Patriots

Green Bay Packers @ New England Patriots – Preseason

Green Bay Packers vs New England Patriots

Green Bay Packers vs New England Patriots

Nada de pânicos nem de análises demasiado profundas a este resultado. Jogos de pré-temporada servem para testar jogadores, sobretudo aqueles que serão dispensados quando o roster for reduzido de 90 para 53 jogadores (no dia 5 de Setembro). Ainda assim, se houve coisa que ficou clara nesta partida, é que Bill Belichick não terá muitas dores de cabeça no dia 1 de Setembro, quando tiver de emagrecer o número de jogadores à sua disposição para 75, visto que os suplentes dos suplentes se mostraram, regra geral, pouco fiáveis. Aliás, a melhor forma de relativizar este resultado é referir que os Patriots não equiparam 23 jogadores (WR Julian Edelman, WR Aaron Dobson, WR Matthew Slater, WR Brandon LaFell, RB LeGarrette Blount, CB Tarell Brown, RB Dion Lewis, RB Brandon Bolden, RB Travaris Cadet, LB Dane Fletcher, LB Eric Martin, LB Darius Fleming, OT Marcus Cannon, G/C Ryan Wendell, C Bryan Stork, G Caylin Hauptmann, DL Joe Vellano, OT Nate Solder, WR Brian Tyms, TE Jake Bequette, DT Chris Jones, DT Sealver Siliga e DT Alan Branch), tendo optado também por não arriscar jogadores (apesar de equipados) como Rob Gronkowski, Danny Amendola, Sebastian Vollmer, Jerod Mayo e Dont'a Hightower. A história da primeira parte resume-se a uns flashes de Brady (7 snaps) e à irregularidade de Garoppolo, sobretudo em lançamentos longos.

Na segunda parte o #10 estabilizou o seu jogo e mostrou-se mais confiante, apesar dos 0 pontos conseguidos neste período. Importa não julgar duramente o jovem quarterback, visto que as armas à sua disposição eram praticamente todas de 2ª e 3ª linha, excepção feita a Brandon Gibson. Aliás, como curiosidade, importa dizer que Garoppolo completou 20 passes em 30 tentativas, 2 em 9 para Josh Boyce e 18 em 21 para os restantes receivers. Em resumo, um jogo que serviu para testar opções e que mostrou uns Packers com alternativas mais sólidas e uns Patriots, para já, demasiado dependentes dos seus titulares.

Homem do Jogo

Jonas Gray: Aproveitou a lesão de LeGarrette Blount e assumiu-se como candidato à titularidade. Mais leve e explosivo, foi dele a bola do jogo, com uma espectacular corrida de 55 jardas para touchdown.

Pela Positiva

Jonathan Freeny: Este linebacker esteve muito em acção e saiu-se bem. Está na luta por um lugar de backup.

Rufus Johnson: Um pass rusher que impressionou, com um excelente sack e múltiplas pressões bem feitas. Lesionou-se num joelho no 4º período.

James White: Pouco explosivo a correr a bola, mas prometedor a fazer de Shane Vereen, com 4 recepções para 52 jardas.

Robert McClain: Foi titular como slot cornerback e mostrou-se eficaz contra o jogo corrido. Desviou 2 passes e pareceu ganhar vantagem sobre Logan Ryan.

David Andrews: Um center que chegou como undrafted mas que disfarçou bem a ausência de Bryan Stork. A ver novamente.

Chris Harper: Este wide receiver quase desconhecido deixou boa impressão com 7 recepções em 7 possíveis, para 48 jardas. Brandon Gibson e Jonathan Krause também tiveram 100% de eficácia, o primeiro com 4 recepções em 4 possíveis e o segundo com 3 em 3.

Pela Negativa

Josh Boyce: Era a noite para este wide receiver de 3º ano mostrar serviço e esteve um desastre, com apenas 2 recepções em 11 possíveis.

Cameron Gordon: Um linebacker que ao contrário de Jonathan Freeny, não conseguiu evidenciar-se, cabendo-lhe algumas culpas no touchdown que os Packers conseguiram em corrida.

Logan Ryan: Foi completamente torrado por Jeff Janis num touchdown de 23 jardas. Para um candidato à titularidade, exigia-se muito mais.

Lesões: Ontem foram 3 os jogadores que abandonaram o jogo: o cornerback Darryl Roberts e os defensive ends Trey Flowers e Rufus Johnson.

Pensamento do Dia

Perder nunca é bom e foi quase penoso ver a falta de opções atacantes nos 3º e 4º períodos, mas foi por outro lado interessante ver a forma como a defesa se comportou no 1º período, sobretudo em situações de muita pressão junto à endzone Patriota. Vencerem e bem os Packers! Aos Patriots, resta continuar a trabalhar e sobretudo, esperar que termine rapidamente a vaga de lesões para que a 1ª equipa comece a ganhar forma.

Artigo publicado originalmente na página de Facebook Patriots Portugal

About The Author

Marco Castro

Cheguei ao Futebol Americano em 2006. Estava de férias em New Bedford, estado de Massachusetts, quando perguntei a um amigo meu aqui emigrado que me explicasse as regras deste jogo. Perguntei-lhe também qual a equipa dele e como nesta matéria estava a zeros, optei por seguir o seu conselho e dar mais atenção a uns tais de Patriots. No regresso a Portugal, consumei este namoro muito graças ao NASN (mais tarde ESPN America), o canal de desporto americano que existia na TV por cabo. Lembro-me de achar "cool" esses tais de Patriots, com os seus capacetes e calças prateadas e lembro-me igualmente de começar a investigar um pouco mais sobre um certo Tom Brady. Hoje em dia sou um Patriota fanático, (aliás, criei e faço a gestão da página de Facebook Patriots Portugal www.facebook.com/patriotsportugal), coleccionador de todo o tipo de merchandising desta equipa e acima de tudo, sofredor Domingo após Domingo, em frente à televisão, colado ao Gamepass (melhor invenção do homem, depois da roda). No trabalho e entre amigos, sou um pouco visto como "lá vem este com o futebol americano só porque foi aos Estados Unidos". Vivo bem com isso. Aliás, tento explicar-lhes "há mais táctica e estratégia neste jogo, do que nas outras modalidades todas juntas" e acrescento "é um jogo espectacularmente justo". Nada os demove a eles, mas também nada me demove a mim! Razão pela qual continuarei a alimentar esta minha paixão Patriota e o sonho de um dia, assistir a um jogo em pleno Gillette Stadium (já lá estive, mas o preço dos bilhetes adiou-me a sua concretização). Se num destes dias os Patriots vencerem o 5º SuperBowl, já sabem, podem encontrar-me a festejar (provavelmente sozinho, ou talvez não) em pleno Marquês de Pombal!