Jacksonville Jaguars @ New England Patriots

Marco Castro 28 de Setembro de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comments
Jacksonville Jaguars at New England Patriots

Jacksonville Jaguars @ New England Patriots

Jaguars vs. Patriots

Jaguars vs. Patriots

Objectivo cumprido! Os Patriots chegam invictos à semana de folga, graças a uma vitória expressiva sobre os Jaguars. Ninguém facilitou rigorosamente nada, sendo prova disso o facto do Ryan Allen não ter chutado um único punt, ou seja, todos os drives liderados por Tom Brady resultaram em pontos para os Pats (touchdown – field goal – field goal – touchdown – field goal – touchdown – touchdown – touchdown – touchdown). O último, já liderado por Jimmy Garoppolo, foi apenas para o kneel que serviu para terminar o jogo. Perante este acerto do ataque, os Jags pouco puderam fazer, sobretudo porque o seu ataque nunca se mostrou capaz de ameaçar seriamente a defesa dos Pats, nem mesmo quando esta dava mostras de estar a jogar em serviços mínimos. Tratou-se portanto de um jogo sem história, que teve o seu momento decisivo no fim do 2ª período, quando os Patriots venciam por 13-3 e os Jaguars tudo faziam para se aproximarem no marcador. Foi então que
Blake Bortles disparou um míssil para Marcedes Lewis, sendo interceptado por Devin McCourty. Na resposta os Patriots chegaram ao touchdown por Danny Amendola e praticamente selaram o jogo. Com 20-3 e com a primeira posse de bola no 3º período convertida em field goal, o jogo não mais se equilibrou, assistindo-se até ao fim a uma exibição do poderio ofensivo dos Pats, ainda por cima facilitada pelas lesões de 5 defensive backs dos Jags (2 antes do jogo e 3 durante o mesmo), que obrigaram a equipa de Jacksonville a remendos atrás de remendos. Destaque final para os 3 touchdowns de LeGarrette Blount, para o touchdown do estreante Keshawn Martin e para a forma como a defesa foi batida por Allen Hurns, no excelente touchdown que este wide receiver conseguiu.

Homem do Jogo

Tom Brady: O #12 continua imparável. Alcançou a histórica marca dos 400 passes para touchdown, tendo completado 33 de 42 passes, para 358 jardas e 2 touchdowns. Brady passou a bola a 9 receivers diferentes, embora os seus alvos preferidos tenham sido os inevitáveis Julian Edelman (8 recepções para 85 jardas) e Rob Gronkowski (4 jardas para 101 jardas).

Pela Positiva

Stephen Gostkowski: Bateu o record da NFL de 422 extra points convertidos consecutivamente e só por isso merece todo o destaque. Já agora, referir que o único PAT que falhou na sua carreira, aconteceu na semana #17 do seu ano de rookie, em 2006.

Devin McCourty: A interception que fez apareceu no momento certo e quebrou animicamente os Jaguars.

Jamie Collins: Esteve muito bem, tanto contra o jogo corrido, como no pass rush, tendo registado 1 sack. Collins emerge cada vez mais como um dos melhores linebackers da NFL.

LeGarrette Blount: Dion Lewis começou como titular e esteve muito bem (8 transportes para 37 jardas e 1 touchdown, mais 5 recepções em 5 passes para 30 jardas), mas Blount conseguiu suplantá-lo, com 18 transportes para 78 jardas e 3 touchdowns, mais 1 recepção em 1 passe, para 14 jardas.

Jordan Richards: Foi o jogo em que esteve mais em campo e teve uma excelente jogada junto à linha lateral, onde levou Allen Robinson ao colo para fora de campo, impedindo uma significativa progressão dos Jags.

Amendola, Martin, Lewis, White, Chandler e Blount: Todos estes jogadores tiveram 100% de passes recebidos, respectivamente 5, 3, 5, 4, 2, e 1. O #80 está intratável e Keshawn Martin mostrou-se promissor, tendo “inventado” um bom touchdown.

Pela Negativa

Malcolm Butler: Deixou uma interception passar-lhe pelas mãos e foi muito bem fintado por Allen Hurns num touchdown de 59 jardas. De resto, continua a dar provas que de pode mesmo ser o cornerback #1 da equipa nos próximos tempos.

Aaron Dobson: Depois de uma boa exibição frente aos Bills, voltou ao seu normal, ou seja, 1 recepção em 3 possíveis, sendo que uma delas seria para touchdown.

Pensamento do Dia

Os Patriots avançam para 3-0 de forma contundente, esperando-se que esta folga de uma semana não corte o bom momento que a equipa atravessa. Estes inícios fulgurantes de temporada não são muito frequentes em Foxborough e não podem de maneira nenhuma levar a excessos de entusiasmo ou confiança. Há ainda muito caminho para percorrer, sendo o próximo adversário um osso duro de roer. Os Cowboys em sua casa, feridos pela ausência de Tony Romo e sedentos de um tónico anímico, que é como quem diz, uma vitória sobre o campeão em título.

Artigo publicado originalmente na página de Facebook Patriots Portugal

About The Author

Marco Castro

Cheguei ao Futebol Americano em 2006. Estava de férias em New Bedford, estado de Massachusetts, quando perguntei a um amigo meu aqui emigrado que me explicasse as regras deste jogo. Perguntei-lhe também qual a equipa dele e como nesta matéria estava a zeros, optei por seguir o seu conselho e dar mais atenção a uns tais de Patriots. No regresso a Portugal, consumei este namoro muito graças ao NASN (mais tarde ESPN America), o canal de desporto americano que existia na TV por cabo. Lembro-me de achar "cool" esses tais de Patriots, com os seus capacetes e calças prateadas e lembro-me igualmente de começar a investigar um pouco mais sobre um certo Tom Brady. Hoje em dia sou um Patriota fanático, (aliás, criei e faço a gestão da página de Facebook Patriots Portugal www.facebook.com/patriotsportugal), coleccionador de todo o tipo de merchandising desta equipa e acima de tudo, sofredor Domingo após Domingo, em frente à televisão, colado ao Gamepass (melhor invenção do homem, depois da roda). No trabalho e entre amigos, sou um pouco visto como "lá vem este com o futebol americano só porque foi aos Estados Unidos". Vivo bem com isso. Aliás, tento explicar-lhes "há mais táctica e estratégia neste jogo, do que nas outras modalidades todas juntas" e acrescento "é um jogo espectacularmente justo". Nada os demove a eles, mas também nada me demove a mim! Razão pela qual continuarei a alimentar esta minha paixão Patriota e o sonho de um dia, assistir a um jogo em pleno Gillette Stadium (já lá estive, mas o preço dos bilhetes adiou-me a sua concretização). Se num destes dias os Patriots vencerem o 5º SuperBowl, já sabem, podem encontrar-me a festejar (provavelmente sozinho, ou talvez não) em pleno Marquês de Pombal!