No Huddle – NFL 2015 – Thanksgiving – Week 12

João Malha 29 de Novembro de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comentários Desligados
GB_CB

No Huddle: NFL 2015 Thanksgiving – Week 12

Philadelphia Eagles – 14 @ Detroit Lions – 45

Muitas questões sobre Chip Kelly. Destruiu a equipa que tinha em nome de uma renovação que se revela agora um grande flop. Tudo indica que estamos a assistir ao fim de Kelly na NFL no imediato e o regresso ao College Football onde teve tanto sucesso.

A visita dos Eagles a Detroit em dia de festa nos EUA foi um verdadeiro smashgiving, tal o massacre dos Lions sobre a equipa de Philadelphia. Os Lions, depois de um arranque para esquecer, estão agora em grande momento, que começou com a vitória história em Green Bay, e já vai no terceiro êxito consecutivo. Já irão tarde para chegar a algum lado mas podem terminar deixando uma imagem bem mais positiva.

Matthew Stafford parece estar a dar a resposta a quem duvidava da sua permanência em Detroit. Esteve perfeito nesta partida e revela que com uma boa proteção pode ser uma grande ameaça. Claro que a fraquíssima defesa dos Eagles não ajuda a ser um barómetro para a qualidade do ataque de qualquer adversário…

Carolina Panthers – 33 @ Dallas Cowboys – 14

A vitória dos Panthers não surpreende ninguém pelo que o principal destaque do jogo foi mais uma lesão de Tony Romo, na clavícula, cuja extensão se saberá em breve mas que a confirmarem-se os piores receios poderá terminar uma época para esquecer do QB dos Cowboys que apenas conseguiu completar 3 jogos, curiosamente aqueles que a equipa venceu, os únicos sucessos.

Com esta derrota e com a lesão de Romo a época termina em definitivo para a equipa de Dallas, mesmo numa NFC East onde apenas os Giants têm um registo neutro (.500), até ver, e todos os outros somam mais derrotas que vitórias, pelo que, mesmo com uma derrota dos Giants no domingo, os Cowboys ficam apenas com dois desaires a mais que o líder da divisão, mas ninguém acredita que seja possível lutarem pela divisão. Só mesmo se a lesão de Romo se revelasse menor e ele voltasse de imediato, mas parece impossível.

Verdade seja dita, mesmo Tony Romo sofreu a bom sofrer contra uma das melhores defesas da NFL. Os dois primeiros TD’s dos Panthers nasceram de pick six de Romo, que chegou até a fazer duas interceções seguidas, ambas protagonizadas por um dos melhores defesas da Liga, Luke Kuechly.

Cam Newton voltou a estar em grande e somou mais um TD em corrida, o 40º em cinco épocas, estando já apenas a 3 do recorde de todos os tempos, de Steve Young. A dúvida é saber se baterá a marca já este ano ou não… Mas certo é que este recorde vai ser pulverizado por Newton ao longo da sua carreira. Quiçá para números próximos do dobro!!

A juntar à festa de 11v-0d dos Panthers, dos recordes de Cam Newton e de uma defesa de elite que atemoriza qualquer ataque, este jogo marcou o 22º consecutivo com mais de 100 jardas de corrida!

Chicago Bears – 17 @ Green Bay Packers – 14

A crise está instalada em Green Bay. Duas derrotas seguidas no Lambeau Field. Quatro derrotas nos últimos cinco jogos na época. Depois de terem ganho um jogo divisional importantíssimo em Minnesota no último fim-de-semana, a equipa de Mike McCarthy voltou a tombar e a colocar a liderança na divisão em risco. E o que vem pela frente não se avizinha fácil para ninguém na NFC North uma vez que com os Lions e Bears em clara subida de forma, ambas venceram três dos seus últimos cinco jogos, Packers e Vikings podem somar mais derrotas em breve provocando que o segundo lugar na divisão, que parecia certo garantir um lugar no playoff via Wildcard, possa agora não ser tão seguro quanto isso de abrir portas ao postseason pois são várias as equipas que estão agora a apenas um jogo de diferença de igualarem os Packers.

Os Packers parecem uma equipa perdida. Sem identidade. Eddie Lacy voltou a misturar o muito bom com o muito mau. Depois de entrar a matar, um fumble foi determinante para a vitória dos Bears. Aaron Rodgers não pode fazer tudo sozinho, muito menos com tantas bolas a caírem das mãos dos seus receivers. A-Rod permitiu uma interceção (apenas a quarta da época) mas tudo se deve também ao facto de tentar arriscar o menos possível. Desta vez teve mesmo que o fazer e Tracy Porter acabou por conseguir mais uma das raras interceções que o QB dos Packers permite. Curiosamente aconteceu num jogo em que o lendário Brett Favre foi homenageado, ele que no último jogo da sua carreira, na final da NFC em New Orleans, foi intercetado precisamente por Porter numa jogada decisiva nessa partida para a vitória dos Saints que acabariam por vencer o Super Bowl.

Os Bears, pelo seu lado, estão cada vez mais consistentes, estando agora num patamar que há um ano parecia improvável. Muito mérito de todo o corpo técnico que tem conseguido fazer de muitos jogadores que pareciam questionáveis, emergir como valores seguros numa equipa em crescendo. Até Jay Cutler já não é um problema em Chicago!

O jogo terminou com a oportunidade dos Packers passarem para a frente nos segundos finais, mas como frente aos Panthers, Rodgers não conseguiu um passe para TD. Foram quatro tentativas, todas falhadas e a vitória a ir para a Windy City.

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online