No Huddle: NFL 2015 Week 12

João Malha 1 de Dezembro de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comentários Desligados
New England Patriots @ Denver Broncos

No Huddle: NFL 2015 Week 12

Minnesota Vikings – 20 @ Atlanta Falcons – 10

Confirma-se a queda dos Falcons e a forte hipótese dos Vikings regressarem aos playoffs. A franquia de Minnesota reforçou a qualidade que tem vindo a demonstrar, não tremendo depois da derrota há uma semana contra os rivais Packers. Estão de volta à liderança da NFC North. A vitória em Atlanta baseou-se num grande jogo defensivo, que secou Julio Jones, e na fantástica exibição de Adrian “All Day” Peterson.

St. Louis Rams – 7 @ Cincinnati Bengals – 31

Os Rams simplesmente não existiram ofensivamente, nem Todd Gurley desta feita se salvou. E a defesa, que é o seu ponto mais forte, não esteve melhor. Andy Dalton, AJ Green e Tyler Eifert estiveram imparáveis e o jogo acabou por não ter história, com os Bengals praticamente a garantirem a vitória na divisão.

New Orleans Saints – 6 @ Houston Texans – 24

JJ Watt não deu hipótese à única coisa que se salva nos New Orleans Saints, o ataque. Os Texans puseram fim a um longo ciclo de jogos com pelo menos um TD dos Saints (155 jogos) e consequentemente ao ciclo de jogos com pelo menos um passe para TD de Drew Brees, que levava 45 seguidos, ficando assim impossibilitado de bater o seu próprio recorde, de 54 jogos consecutivos.

A mudança de coordenador defensivo dos Saints até pareceu amenizar as miseráveis exibições da equipa a este nível, que vinha a sofrer mais de 40 pontos por jogo nos últimos três, mas sem ataque o resultado foi mais uma derrota sem espinhas. Já os Texans, parecem ter encontrado o ritmo para lutarem pela divisão com os Colts. A defesa está fortíssima e o ataque cumpre os mínimos para garantir vitórias.

Indianapolis Colts – 25 @ Tampa Bay Buccanneers – 12

Os Colts são outra das equipas em claro crescimento. Mesmo amputadas do seu QB titular. O quarentão Matt Hasselbeck leva 4 jogos e outras tantas vitórias enquanto titular o que não deixa de ser uma grande surpresa. Um jogo equilibrado na primeira parte deu origem a uma vitória clara dos Colts devido sobretudo à falência da OL dos Bucs na segunda parte, que deixou de proteger Jameis Winston, que continua a crescer a cada jogo, e de abrir espaços para Doug Martin brilhar, ele que desapareceu na segunda metade do encontro.

San Diego Chargers – 31 @ Jacksonville Jaguars – 25

A decisão esteve no facto dos Chargers converterem em TD as suas idas à red zone ao invés dos Jaguars que na maioria das vezes terminaram em FG. Isso e os erros de Blake Bortles que misturou o muito bom com erros de principiante, pouco admissíveis num jogador de segundo ano, como dois passes à frente da linha de scrimmage em jogadas na red zone.

Buffalo Bills – 22 @ Kansas City Chiefs – 30

Grande jogo de Jeremy Maclin e do running game dos Chiefs valeu mais uma vitória. Os Chiefs vêm num ritmo fantástico e neste jogo superaram tudo e todos (forte chuva, desvantagem no marcador e várias lesões importantes, como Justin Houston).

Miami Dolphins – 20 @ New York Jets – 38

O resultado engana pois os Dolphins só em garbage time é que fizeram alguns pontos. Os Jets não deram hipótese com Ryan Fitzpatrick e Brandon Marshall a serem os maiores destaques.

Oakland Raiders – 24 @ Tennessee Titans – 21

Importantíssima vitória dos Raiders que permite à equipa manter-se na corrida ao Wildcard. Um jogo muito equilibrado e com um final emocionante onde dois jovens QB brilharam. Derek Carr levou a melhor e continua num ritmo que o pode levar a números recorde para um QB no seu segundo ano.

New York Giants – 14 @ Washington Redskins – 21

Os Redskins lideram a NFC East graças a esta vitória fundamental sobre os Giants. Ninguém tem registo positivo na divisão e até os Cowboys com apenas três vitórias estão a dois jogos da liderança! Apesar da vitória dos Skins, o momento do jogo foi mais uma receção do outro mundo de Odell Beckham Jr.

A OL dos homens da capital e três interceções no início do jogo foram decisivas para o desfecho final da partida.

Arizona Cardinals – 19 @ San Francisco 49ers – 13

Desfecho esperado mas com muitas dificuldades, ao contrario de quaisquer previsões. Os 49ers conseguiram parar o ataque dos Cardinals, que têm apresentado números impressionantes. Carson Palmer sentiu muitas dificuldades e as lesões dos seus dois principais RB não ajudou. Contudo, uma fantástica drive no último período devolveu a liderança aos Cardinals e garantiu mais uma vitória, ficando agora muito próximo de assegurar a divisão pois tem vantagem de três jogos em relação aos Seahawks quando já só faltam cinco jogos para fechar a época.

Pittsburgh Steelers – 30 @ Seattle Seahawks – 39

Grande jogo! Ataques fantásticos ao ponto de Ben Rothlisberger ter conseguido quase 500 jardas de passe contra os Seahawks, algo que a franquia de Seattle não permitia há várias épocas! Constantes alterações na liderança, com os Seahawks a conseguirem também um jogo de passe incomum  com Doug Baldwin a ser o principal destaque, com três TD! O único motivo de preocupação para os Hawks foi a lesão de Jimmy Graham que não regressará esta época aos relvados.

Os Seahawks parecem estar a crescer e podem contar com eles para os playoffs. Já estão em lugar de wildcard e se repetirem 2014, vão surgir na fase decisiva mais fortes do que nunca.

Os Steelers perderam mas têm um ataque de meter medo. Big Ben, apesar das lesões que o têm fustigado esta época, regressa sempre em grande e tem um leque de receivers de luxo. Foi pena a lesão há umas semanas de Le’Veon Bell porque com ele poderiam ser um dos favoritos ao Super Bowl. Claro que a qualidade permite-lhe sonhar com esse momento mas para já a concentração terá de ser o Wildcard pois nem isso está assegurado. Só mesmo as várias lesões de Big Ben o justifica pois caso contrário os Steelers estariam certamente a disputar a divisão com os Bengals taco-a-taco.

New England Patriots – 24 @ Denver Broncos – 30 (Overtime)

Mais um jogo fantástico, disputado sobre forte nevão que foi pintando o relvado de branco ao longo da partida. Os Patriots dominaram quase de início ao fim o marcador, mas os Broncos conseguiram virar o jogo nos momentos finais. Claro que Tom Brady não baixou os braços e conseguiu ainda no último minuto conduzir a equipa a um FG que valeu o prolongamento. Mesmo já sem Rob Gronkowski que se juntou à longa lista de lesões no ataque dos campeões.

Os Patriots acabaram por somar a primeira derrota da época mas é preciso tirar o chapéu a Brady que perdeu as suas quatro principais armas ofensivas, ficando sem referências, mas nem assim o conseguiram parar totalmente. A grande dúvida é como será daqui para a frente sem os seus jogadores-chave. Felizmente para os Pats, Gronk só deve falhar um jogo, mas se calhar vai ser preciso descobrir algum milagre no free agency. E se há alguém com capacidade para tal são Bill Belichick e Tom Brady.

Brock Osweiler teve muitas dificuldades mas surgiu no momento-chave, a segunda parte, conseguindo conduzir os Broncos à recuperação, muito graças também a um running game que decidiu nas últimas jardas do terreno com três TD, um deles o da vitória no prolongamento.

Baltimore Ravens – 33 @ Cleveland Browns – 27

Duas equipas condenadas a nada esta época. Um jogo onde nada havia a perder e isso ajuda sempre a que haja muitos pontos. Até quando estão a jogar dois backup QB pois se os Ravens já tinham essa realidade antes do jogo, os Browns viram Josh McCown sair por lesão, tendo de recorrer a Austin Davis, uma vez que Johnny Manziel foi relegado para 3ª escolha depois de mais um comportamento de mau profissional. Ganhou a equipa menos má e cuja época para esquecer se deve a alguns momentos de pouca sorte e acima de tudo a um grande infortúnio com lesões em jogadores-chave. Já os Browns, voltaram a ser o desastre que têm sido ao longo de duas décadas, com exceção de parte do ano passado em que pareciam uma equipa. Foi sol de pouca dura…

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online