No Huddle: NFL 2015 Week 13

João Malha 8 de Dezembro de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comentários Desligados
Houston Texans vs Buffalo Bills

No Huddle: NFL 2015 Week 13

Houston Texans – 21 @ Buffalo Bills – 30

Grande jogo entre duas equipas que continuam a lutar pelos playoffs. Finalmente alguém conseguiu marcar um TD (ou vários neste caso) à defesa dos Texans, que tem estado absolutamente impecável. Tyrod Taylor fez um grande jogo, assim como Sammy Watkins e foi aqui que esteva a chave do jogo.

San Francisco 49ers – 26 @ Chicago Bears – 20 (Overtime)

Com Blaine Gabbert estes 49ers são de facto outra louça. Foi um jogo disputado até ao último segundo, que deu direito a tempo extra. Mas tudo só chegou aqui devia ao dia desastrado do kicker dos Bears, Robbie Gould, que falhou dois FG, um deles de 36 jardas que dava a vitória sob o apito final do tempo regulamentar.

Cincinnati Bengals – 37 @ Cleveland Browns – 3

Sobre este não há nada a dizer a não ser que os Browns são miseráveis. A pior equipa da NFL em 2015, sem sombra de dúvidas. Destaque apenas para um jogo tremendo de AJ Green… mais um dos melhores WR da Liga.

Seattle Seahawks – 38 @ Minnesota Vikings – 7

Outro jogo com pouco para contar, mas este inesperadamente. Os Vikings foram atropelados por uma equipa de Seattle que como nos últimos anos termina a fase regular num crescendo acentuado que, assim diz a história recente, depois rebenta com tudo e todos no playoff. A grande diferença é que ao contrário dos últimos dois anos agora não poderá fazê-lo como líder da NFC, gozando do Homefield Advantage. Mas que estarão nos playoffs, isso parece certo.

Russell Wilson voltou a estar num plano muito elevado e isso foi fulcral para a vitória esmagadora num jogo que se previa muito complicado para os Seahawks. Porém os Vikings não confirmaram os pergaminhos que têm apresentado, voltando a perder como há um par de semanas um jogo fundamental no seu próprio estádio. Na altura foi com os rivais divisionais Green Bay Packers, que agora regressaram ao topo da NFC North graças a esta derrota dos Vikings e à sua vitória na última quinta-feira, no tão falado Hail Mary de Aaron Rodgers.

New York Jets – 23 @ New York Giants – 20 (Overtime)

O derby da Big Apple terminou no tempo extra graças a mais uma vantagem perdida nos últimos segundos dos Giants. E assim tudo se conjuga para não conseguirem vencer a divisão, até porque os seus jogos finais não serão especialmente acessíveis. Já os Jets, continuam a basear a sua equipa numa defesa forte e um ataque que não sendo explosivo, tem sido minimamente consistente.

Arizona Cardinals – 27 @ St. Louis Rams – 3

Mais um jogo sem história. Os Cardinals têm sido das melhores equipas da NFL em 2015. Voltaram a demonstrar a sua força, não dando a mínima hipótese aos Rams que apesar de alguns momentos interessantes na época, voltaram a descarrilar em definitivo. A combinação entre uma das melhores defesas e um dos melhores ataques só pode mesmo garantir que estes Cardinals são um dos favoritos à vitória na NFC.

Atlanta Falcons – 19 @ Tampa Bay Buccanneers – 23

Continua a queda livre dos Falcons. De invencíveis durante quase metade da época, estão agora com registo de .500 e já vão em terceiro na NFC South, tendo agora sido igualados no registo e ultrapassados na tabela divisional pelo seu rival deste domingo. Tudo decidiu numa grande drive onde Jameis Winston, mais uma vez, mostrou que continua a crescer a cada domingo, justificando a aposta dos Bucs em si como n.º 1 do draft.

Jacksonville Jaguars – 39 @ Tennessee Titans – 42

Houve pontos e emoção a rodos. E finalmente uma vitória em casa dos Titans, 11 jogos depois. Um jogo com muitos destaques individuais, em especial Marcus Mariota, do lado dos Titans, que conseguiu mais de 100 jardas de corrida, uma delas de 87 jardas para TD, pouco habituais num QB! Mas também Allen Robinson, o WR dos Jaguars que continua a somar números impressionantes. Este domingo foram “só” 3 TD!

O resultado praticamente tira os Jaguars da corrida dos playoffs e simultaneamente permite aos Titans sair do registo das piores equipas da NFL.

Baltimore Ravens – 13 @ Miami Dolphins – 15

Aos Ravens tudo acontece. São as muitas lesões e agora é ver-se obrigado a jogar com um Matt Schaub como QB que mete medo a susto. Talvez fosse melhor colocar lá uma daquelas máquinas que atira bolas. Deve provocar menos interceções. A isso juntou-se um dia pouco feliz do kicker Justin Tucker que lhes custou a vitória. Mas o moral da história é que as duas equipas juntas não fazem uma equipa de jeito. Que venha 2016 para ambos pois deste ano já não levam nada.

Philadelphia Eagles – 35 @ New England Patriots – 28

Por esta é que ninguém esperava. Nem mesmo com tantas baixas nos Patriots, dado que os Eagles têm sido uma sombra do que muitos esperavam no início da época. Mas os Patriots seguiram muitas das equipas que se mantiveram imbatíveis por longo período da época 2015, ou seja, depois da primeira derrota, somaram a segunda logo na semana seguinte.

É preocupante a falta de soluções ofensivas dos Patriots nestes dias, devido ao imenso rol de lesões. Tanto assim é que até numa jogada com um grande truque, foi Danny Amendola a fazer de QB e Tom Brady de WR, a conseguir correr por várias jardas sem que ninguém dos Eagles se apercebesse do que se estava a passar.

O jogo foi essencialmente decidido pelas special teams e defesa dos Eagles, que assim conseguiram uma rara vitória de qualquer equipa no Foxboro.

Kansas City Chiefs – 34 @ Oakland Raiders – 20

Se equipas como os Falcons estão em queda livre, ao invés os Chiefs estão numa subida meteórica. Mais uma vitória e com um calendário acessível parece difícil não ver a formação de Kansas City em competição em Janeiro. Alex Smith, naquele estilo que não entusiasma ninguém, continua a não comprometer e já lá vai muito tempo a conseguir fugir a qualquer interceção! Do outro lado, Derek Carr falhou rotundamente, ele que tem sido o grande trunfo desta equipa renascida dos Raiders. Para a franquia de Oakland a margem de erro ficou a zero e já só por milagre é possível acreditar que ainda poderão chegar a um lugar no playoff.

Denver Broncos – 17 @ San Diego Chargers – 3

Definitivamente a defesa dos Broncos faz de defesa e ataque. Conseguiu o mesmo número de TD que o seu ataque! É graças a essa monstruosa defesa que os Broncos podem sonhar com um regresso ao palco mais desejado, o Super Bowl.

Já os Chargers continuam um ano para esquecer, numa equipa que tem valor para outros voos. Apenas três pontos é mau demais para um ataque com tanta qualidade.

Carolina Panthers – 41 @ New Orleans Saints – 38

Como adepto fervoroso dos Saints, confesso que não esperava tanta luta e equilíbrio neste jogo. Foi mais uma partida fantástica de emoção, com Drew Brees a liderar um ataque que conseguiu marcar mais pontos que qualquer outra equipa aos Panthers, que apesar de tudo saíram imaculados da Big Easy, podendo mesmo sonhar com o registo perfeito de 16v-0d na regular season.

Cam Newton esteve fantástico, com cinco passes para TD, mas começou muito periclitante, perante uma defesa dos Saints que com a mudança técnica em termos defensivo parece mais capaz (ou melhor, menos má do que até aqui), conseguindo mesmo três takeaways logo no início do jogo.

Houve emoção até final mas a verdade é que ganhou quem se esperava e apesar de uma excelente réplica, os Saints estão a escassos 5 TD de baterem o pior registo de sempre de uma equipa em termos defensivos. E ainda faltam 4 jogos! Só por milagre dada a permeabilidade da sua defesa é que os Saints não vão ter o maior número de sempre de TD permitidos aos adversários.

Indianapolis Colts – 10 @ Pittsburgh Steelers – 45

O ataque dos Steelers é qualquer coisa do outro mundo. Ben Rothlisberger tem sido fantástico e com um leque de receivers deste gabarito isso não é difícil. Um jogo monstro de Antonio Brown, muito bem secundado por Martavis Bryant e Markus Wheaton, valeu mais um marcador bem volumoso, para não falar do veterano RB DeAngelo Williams, que tem feito esquecer LeVeon Bell, que já não regressa este ano.

Dou outro lado, Matt Hasselback acabou por finalmente perder um jogo, depois de quatro partidas completas a vencer desde que assumiu o lugar do lesionado Andrew Luck. Também o quarentão QB saiu lesionado na segunda parte, mas já foi numa altura em que a reviravolta era uma miragem.

Será um crime estes Steelers não estarem no postseason! São espetáculo ofensivo garantido. Um bálsamo para quem gosta de muita bola no ar e jogadas de cortar a respiração!

Washington Redskins – 16 @ Dallas Cowboys – 19

O que se pode dizer da NFC East? É má demais para ser verdade. Consegue ser tão má ou pior que a NFC South de 2014. E com esta vitória os Cowboys acabam por estar a apenas uma vitória da liderança, atrás das outras três equipas. Surreal.

O jogo foi fraco, os ataques não conseguiram fazer nada de jeito todo o dia e acabou por ser um FG a decidir a contenda. E foi isto… zero interesse numa divisão que vai ser ganha pelo menos mau. Não se sabe é quem será pois são todos tão fracos… os Giants parecem ser essa equipa mas a dificuldade do seu calendário faz com que se calhar um dos outros acabe por ser mais forte candidato a seguir em frente!

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!