No Huddle: NFL 2015 Week 8

João Malha 3 de Novembro de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comentários Desligados
Green Bay Packers vs Denver Broncos

No Huddle: NFL 2015 Week 8

Cincinnati Bengals – 16 @ Pittsburgh Steelers – 10

Se dúvidas havia estão desfeitas. Os Bengals são um contender! Os Steelers até tiveram Big Ben de volta, mas nem assim conseguiram parar os imbatíveis Bengals. Passaram dificuldades, com Andy Dalton a sofrer com o forte pass rush contrário, mas nem isso impediu a sétima vitória seguida. Aos Steelers resta lutar por um Wildcard para chegar à fase seguinte. Tarefa mais dificultada com a lesão do RB Le’Veon Bell que sofreu problema ligamentar que o deixa de fora para o resto da época.

San Francisco 49ers – 6 @ St. Louis Rams – 27

Mais uma derrota sem história dos 49ers que finalmente vão atirar Colin Kaepernick para o banco. Destaque só mesmo o RB dos Rams, Todd Gurley, uma força da natureza, completamente imparável, que leva o seu quarto jogo consecutivo com mais de 120 jardas em corrida. Quem consegue parar aquele que deverá ser, por este andar, o rookie do ano.

New York Giants – 49 @ New Orleans Saints – 52

O terceiro jogo com mais pontos de sempre (segundo depois da fusão)! Basta isto para dizer que foi um jogo empolgante, onde as defesas não existiram e os ataques foram imparáveis. Drew Brees conseguiu sete passes para TD contra 6 de Manning! Odell Beckham Jr. somou três TD, enquanto os Saints dividiram entre cinco jogadores as receções para TD. E curiosamente, tudo foi decidido no único FG da partida, no último segundo, que evitou o prolongamento, na estreia de Kai Forbath a pontapear um FG com a camisola dos Saints, depois de na semana passada não ter tido sequer uma tentativa frente aos Colts.

Tennessee Titans – 6 @ Houston Texans – 20

Sem Mariota estes Titans são de uma vulgaridade atroz. Não que sejam muito melhores com ele, ainda assim há uma diferença clara. Os Texans, apesar do registo negativo, mantêm-se na corrida pela divisão, provavelmente a pior da história!

Brian Hoyer tem estado a um bom nível desde que voltou a assumir a titularidade, somou mais dois passes para TD e conduziu os Texans à terceira vitória da época, ficando em igualdade com os Colts.

Cleveland Browns – 20 @ Arizona Cardinals – 34

Apesar de uma primeira parte de mau nível, os Cardinals não deram hipóteses na etapa complementar. Carson Palmer somou quatro passes para TD e o seu RB Chris Johnson, apesar de dois fumbles, conseguiu mais um jogo acima das 100 jardas. A defesa fez o resto. Já os Browns, voltaram a cair perante um rival mais forte. São uma equipa que dá sempre luta, mas que inevitavelmente acaba por perder…

San Diego Chargers – 26 @ Baltimore Ravens – 29

Duas equipas que veem a época escapar-lhes entre os dedos. Só duas vitórias e seis derrotas é o seu pecúlio após 8 jogos. E não são equipas fracas, somando derrotas que na sua maioria foram disputadas até ao final. Por isso, este jogo não foi diferente sendo decidido num FG sobre o apito final. As lesões foram o ponto negativo, para ambos os lados, com destaque para o final de época de Steve Smith, que poderá ser também o final de uma grande carreira do veterano WR que havia afirmado que esta seria a sua última época.

Minnesota Vikings – 23 @ Chicago Bears – 20

Para um resumo mais alargado, ler o artigo do Paulo Pereira.

De forma breve, referir que os Vikings mantêm a consistência que lhe vale a luta por um lugar no playoff, provavelmente via Wildcard. Foram os últimos minutos que asseguraram a vitória, com Stefon Diggs novamente em grande destaque, depois de ter estado, assim como Bridgewater, apagado no resto do jogo. Uma palavra para os Bears, que desde o regresso após lesão de Alshon Jeffery e de Jay Cutler, estão mais fortes, mas ainda longe de uma equipa com ambições. Mas ao menos já não se prestam às figuras tristes que fizeram no início da época.

Tampa Bay Buccanneers – 23 @ Atlanta Falcons – 20 (overtime)

Por esta ninguém esperava. Que os Falcons têm começado a sofrer solavancos já se sabia, mas ainda só haviam perdido com o seu maior rival, os Saints. Agora somaram mais uma derrota divisional (estão 0-2 na NFC South), frente a uns Bucs onde Jameis Winston começa a melhorar de jogo para jogo. Mas foi a defesa que valeu a vitória, ao conseguirem capitalizar 20 pontos nos quatro turnovers que os Falcons fizeram. A franquia de Atlanta recuperou de uma desvantagem de 13 pontos para levar a contenda para o Overtime, mas um FG decidiu o jogo para os Bucs.

Detroit Lions – 10 @ Kansas City Chiefs – 45

No último jogo de Londres em 2015, os Chiefs voltaram a sonhar com os playoffs graças a um esmagamento de uns Lions que são um verdadeiro pesadelo. Nem a mudança de coordenador teve efeitos com o ataque dos Lions a serem uma anedota autêntica. Alex Smith esteve perfeito, no seu estilo de pouco risco, mas com grandes corridas a juntar a certeza no passe, com uma defesa que é fantástica e que colocou Stafford todo o jogo sob pressão, como os seis sacks que sofreu o mostram.

Seattle Seahawks – 13 @ Dallas Cowboys – 12

Dez Bryant regressou mas nem isso serve de desculpa aos Seahawks para tão sofrida vitória. A equipa ofensivamente mostra muitas fragilidades. O que vale é que o QB dos Cowboys é Matt Cassel, fosse alguém minimamente competente e é certo que os Seahawks não teriam saído do Texas a sorrir.

Por incrível que pareça, apesar de cinco derrotas consecutivas, os Cowboys continuam a ter legítimas aspirações numa NFC East atípica, onde ninguém tem registo positivo. E Tony Romo regressa dentro de duas semanas, na Week 11, presume-se. Já os Seahawks, não parecem capazes de repetir os últimos dois anos, mas por vezes tudo muda de um momento para o outro.

New York Jets – 20 @ Oakland Raiders – 34

Os Raiders são mesmo a sério! É desta! Depois de tantos anos de sofrimento. Derek Carr parece o homem para guiar a equipa novamente ao postseason. O QB dos Raiders manietou a defesa dos Jets, uma das melhores da Liga. Com Amari Cooper isolado na Revis Island, Carr encontrou em Michael Crabtree a alternativa de confiança para garantir a vitória. Já os Jets, que iam tão bem lançados, viram Ryan Fitzpatrick lesionar-se na mão e está agora em dúvida para os próximos jogos. A alternativa é Geno Smith. MEDO! MEDO Máximo para os fãs da franquia da Big Apple. Ainda para mais, nem sequer Smith está no seu melhor (mas ele tem melhor??) com algumas mazelas que limitam ainda mais a sua falta de talento. O tempo que esteve em campo foi medíocre na maioria das vezes e os Jets podem ver escapar os playoffs se não conseguirem resolver a situação.

Green Bay Packers – 10 @ Denver Broncos – 29

Os Packers caíram pela primeira vez esta época e com estrondo. Esperava-se um grande jogo em Denver mas o que se viu foi um tremendo assumir de força da franquia dos Broncos que se tem valido da defesa para manter registo imbatível. A defesa voltou a estar em grande, anulando Aaron Rodgers e o seu ataque. Mas pela primeira vez Peyton Manning pareceu próximo do QB que foi nas últimas épocas na franquia de Denver. Fez o seu melhor jogo da época no momento em que a equipa mais precisava dele. E nem fez um único passe para TD. Leva apenas sete em 2015, o mesmo que Bress conseguiu só este domingo…

Mas mesmo não passando para um TD, somou 340 jardas e apenas uma Interceção. O melhor registo de jardas e igualando o melhor de interceções (o quarto jogo com uma, tendo em outros três jogos somado 2 ou mais). Já Aaron Rodgers não conseguiu sequer chegar às 100 jardas de passe, um dos piores registos da sua carreira.

Indianapolis Colts – 26 @ Carolina Panthers – 29 (Overtime)

Não sabemos se a forte chuvada explica tudo mas o jogo, especialmente a primeira parte, foi um chorrilho de turnovers. Até que os Panthers foram-se embora no marcador e tudo pareceu decidido, uma vez que estes Colts não metem medo a ninguém. Mas Andrew Luck lá regressou das cinzas, qual fénix, e conduziu a equipa a um grande quarto período, igualando o marcador a 26 e levando a decisão para overtime. Uma interceção, a terceira no jogo, permitiu aos Panthers começarem a drive final em posição privilegiada, com Cam Newton a deixar Graham Gano a 42 jardas do postes para o FG que ditou a vitória, a sétima, no registo perfeito dos homens de Carolina.

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online