AFL, O Football de Pavilhões

Marco Castro 13 de Março de 2014 Artigos Comentários Desligados
AFL

AFL, O Football de Pavilhões

Arranca no próximo fim de semana a nova temporada de Arena Football League, também conhecida como AFL. Apesar de pouco divulgada por cá, esta variante de futebol americano é a 3ª liga mais importante do continente Americano, logo depois a CFL (Canadian Football League) e claro, da NFL. É disputada em pavilhões (tal como o nome indica), entre equipas de 8 jogadores (com rosters de 20 jogadores activos). O campo em si tem um comprimento de 50 jardas (46 metros) e 26 metros de largura, sendo que os goal posts são bem mais apertados, com apenas 2,7m de largura.

As equipas da AFL

As equipas da AFL

A Época

A AFL tem uma temporada regular de 20 semanas (de Março a Agosto), sendo que cada equipa disputa 18 jogos. Existem 14 equipas, distribuídas por 2 conferências (American e National). Dentro destas conferências, existem 2 divisões, respectivamente a South e a East (com 4 equipas cada), mais a Pacific e a West (com 3 equipas cada). No final da temporada regular, 4 equipas de cada conferência (os vencedores de divisão, mais 2 equipas com wild card) disputam os playoffs, ou seja, jogos a eliminar que culminam na ArenaBowl (o “SuperBowl” desta modalidade).

Os LA KISS

LA KISS

O Capacete dos LA KISS

Este ano a AFL ganhou uma franquia que promete ser das mais faladas dos últimos tempos. Primeiro porque devolve um pouco de American Football à cidade de Los Angeles (recorde-se que esta metrópole não tem actualmente qualquer franquia de NFL). Depois, porque é propriedade de uma das mais icónicas bandas de rock dos últimos 40 anos, os míticos KISS. Esta banda foi (e é ainda) referência para gerações inteiras de Americanos, prometendo captar mais atenção e mais publicidade para a liga. Para finalizar, referir que as transmissões televisivas estarão a cargo sobretudo da ESPN e da CBS Sports, que é o mesmo que dizer que em Portugal não haverá AFL para ninguém. Com muita pena nossa.

About The Author

Marco Castro

Cheguei ao Futebol Americano em 2006. Estava de férias em New Bedford, estado de Massachusetts, quando perguntei a um amigo meu aqui emigrado que me explicasse as regras deste jogo. Perguntei-lhe também qual a equipa dele e como nesta matéria estava a zeros, optei por seguir o seu conselho e dar mais atenção a uns tais de Patriots. No regresso a Portugal, consumei este namoro muito graças ao NASN (mais tarde ESPN America), o canal de desporto americano que existia na TV por cabo. Lembro-me de achar "cool" esses tais de Patriots, com os seus capacetes e calças prateadas e lembro-me igualmente de começar a investigar um pouco mais sobre um certo Tom Brady. Hoje em dia sou um Patriota fanático, (aliás, criei e faço a gestão da página de Facebook Patriots Portugal www.facebook.com/patriotsportugal), coleccionador de todo o tipo de merchandising desta equipa e acima de tudo, sofredor Domingo após Domingo, em frente à televisão, colado ao Gamepass (melhor invenção do homem, depois da roda). No trabalho e entre amigos, sou um pouco visto como "lá vem este com o futebol americano só porque foi aos Estados Unidos". Vivo bem com isso. Aliás, tento explicar-lhes "há mais táctica e estratégia neste jogo, do que nas outras modalidades todas juntas" e acrescento "é um jogo espectacularmente justo". Nada os demove a eles, mas também nada me demove a mim! Razão pela qual continuarei a alimentar esta minha paixão Patriota e o sonho de um dia, assistir a um jogo em pleno Gillette Stadium (já lá estive, mas o preço dos bilhetes adiou-me a sua concretização). Se num destes dias os Patriots vencerem o 5º SuperBowl, já sabem, podem encontrar-me a festejar (provavelmente sozinho, ou talvez não) em pleno Marquês de Pombal!