Drive Me Crazy!: Viking

Marco Castro 31 de Dezembro de 2013 Drive me Crazy Comments
Drive Me Crazy

Drive Me Crazy!: Viking

Viking

Viking
Foto de AP Photo/David Stluka

Nasceu para conquistar. Para explorar e dominar. Nasceu para a guerra, para os grandes feitos, para a glória. Nasceu assim o Viking e é assim que vive, Domingo após Domingo, até que um deles seja o último de todos. Fiel a si mesmo. À sua fé, à sua força, à sua coragem. Ainda que por estes dias as vitórias andem longe muito longe, não lhe peçam a rendição, nem lhe exijam a honra servida numa bandeja. Não esperem fraqueza no lugar da força oceânica. Nem esperem sorrisos mal desenhados num rosto de sofrimento. Por agora os seus navios dragão vão ficar em terra e sim, esta batalha está perdida. Mas o fim dos tempos está ainda longe e o Viking vai regressar, rejuvenescido, pronto para um dia voltar vencer. Pode até não demorar muito tempo, por isso contem com ele.

About The Author

Marco Castro

Cheguei ao Futebol Americano em 2006. Estava de férias em New Bedford, estado de Massachusetts, quando perguntei a um amigo meu aqui emigrado que me explicasse as regras deste jogo. Perguntei-lhe também qual a equipa dele e como nesta matéria estava a zeros, optei por seguir o seu conselho e dar mais atenção a uns tais de Patriots. No regresso a Portugal, consumei este namoro muito graças ao NASN (mais tarde ESPN America), o canal de desporto americano que existia na TV por cabo. Lembro-me de achar "cool" esses tais de Patriots, com os seus capacetes e calças prateadas e lembro-me igualmente de começar a investigar um pouco mais sobre um certo Tom Brady. Hoje em dia sou um Patriota fanático, (aliás, criei e faço a gestão da página de Facebook Patriots Portugal www.facebook.com/patriotsportugal), coleccionador de todo o tipo de merchandising desta equipa e acima de tudo, sofredor Domingo após Domingo, em frente à televisão, colado ao Gamepass (melhor invenção do homem, depois da roda). No trabalho e entre amigos, sou um pouco visto como "lá vem este com o futebol americano só porque foi aos Estados Unidos". Vivo bem com isso. Aliás, tento explicar-lhes "há mais táctica e estratégia neste jogo, do que nas outras modalidades todas juntas" e acrescento "é um jogo espectacularmente justo". Nada os demove a eles, mas também nada me demove a mim! Razão pela qual continuarei a alimentar esta minha paixão Patriota e o sonho de um dia, assistir a um jogo em pleno Gillette Stadium (já lá estive, mas o preço dos bilhetes adiou-me a sua concretização). Se num destes dias os Patriots vencerem o 5º SuperBowl, já sabem, podem encontrar-me a festejar (provavelmente sozinho, ou talvez não) em pleno Marquês de Pombal!