Fantasy Football: Estratégias para um Bom Draft

João Azevedo 8 de Setembro de 2016 Fantasy Comentários Desligados
NFL Fantasy

Fantasy Football: Estratégias para um Bom Draft

As últimas duas semanas têm sido fantasy draft weeks por excelência, mas para aqueles que ainda estão a aproveitar os últimos momentos para draftar as suas equipas, aqui ficam algumas estratégias que podem seguir em cada round.

Nota: Tenham em conta que eu não posso prever exatamente quais são os jogadores que vão estar disponíveis em cada ronda, vou apenas guiar-me pelos rankings.

Esta estratégia é desenhada para uma snake draft com 10 jogadores.

Round 1 – Qualquer escolha é uma boa escolha

Antonio Brown é nº 1 dos rankings de Fantasy Football

Antonio Brown é nº 1 dos rankings de Fantasy Football
Foto de: Charles LeClaire – USA Today Sports

No primeiro round, qualquer escolha é uma boa escolha, aqui tudo depende da posição e da estratégia geral. A meu ver se tiverem as duas primeiras posições, levem o Antonio Brown ou o Odell, se estiverem mais a baixo levem um RB: David Johnson, Adrian Peterson ou Zeke Elliott são as melhores escolhas possíveis, tenham cuidado com o Todd Gurley. Se estiverem no fim do round e ainda houver algum dos nomes mencionados levem-no, se não, levem o Gronkowski, ficam com a posição de TE resolvida para todo o draft. Se estiverem nas duas últimas posições, vão estar nas primeiras posições do segundo round, por isso se não tiver sobrado ninguém que acham que valha a pena, levem dois jogadores do segundo round. Saltem o Dez Bryant, o Hopkins ou o Devonta Freeman à vontade e sem sentirem remorsos, há jogadores mais valiosos em posições mais a baixo.

Round 2 – Definir um rumo

A escolha do segundo round pode definir a estratégia do resto da vossa draft. Se decidirem RB-RB nos primeiros dois rounds, deverão escolher WR no terceiro, se forem WR-WR, deverão ir com um RB, etc…Sou daqueles que acha que se deve sempre escolher o melhor jogador possível em cada round independentemente da posição, mas tenham em conta que se escolherem 4 RB’s nos primeiros rounds (por exemplo), o vosso WR core será à partida mais fraco. Assim neste round, a meu ver, as melhores escolhas são Lamar Miller (RB), Allen Robinson (WR) e Eddie Lacy (RB). Se estiverem nas primeiras 5 posições, eles ainda devem lá estar.

Jamaal Charles também é uma boa opção, mas tenham em conta o histórico de ligamentos cruzados do joelho que ele rasgou. Se tiverem nas últimas 5 posições desçam abaixo do 20º lugar, levem o Brandon Marshall (WR) ou o LeSean McCoy (RB).

Round 3 – Devo escolher um QB?

Este é aquele round onde se inserem os primeiros QB’s nos rankings. Sei que é tentador escolherem o Cam Newton ou o Aaron Rodgers, mas não façam isso, esperem por um quarterback. Abaixo do décimo round têm opções mais que suficientes para preencher esta posição.

Se nas primeiras duas escolhas levaram RB-RB, aproveitem para levar o Brandon Marshall (WR) ou o Amari Cooper (WR) neste round; se levaram WR-WR, a escolha ideal agora é o LeSean McCoy ou desçam um pouco para selecionar o Carlos Hyde (RB) ou o Matt Forte (RB).

Se estiverem indecisos levem antes um TE, vão buscar o Jordan Reed ou o Greg Olsen. Existem bons TE’s em rounds mais tardios, mas assim resolvem logo o problema desta posição.

Round 4 – Conforme o vosso estilo

Aqui, cada um deve decidir conforme a sua preferência. Se quiserem escolher um TE, as escolhas já foram apresentadas acima e é a altura para os levarem, duvido que algum deles dure até ao round 5. Se não gostam de esperar por um QB, devem ter o Russell Wilson à disposição e é uma escolha melhor que o Aaron Rodgers ou o Cam Newton no terceiro round.

De resto, os já referidos Hyde e Forte são os melhores RB’s, se ainda lá estiverem. Jarvis Landry, Jeremy Maclin e Brandin Cooks são os melhores WR’s, tenham atenção, no entanto, que apesar de o Cooks ter um melhor QB, Drew Brees gosta de dividir os passes por todos os seus alvos.

Round 5 – Conforme a posição

Não deixem escapar Latavius Murray!

Não deixem escapar Latavius Murray!
Foto de: Kirby Lee – USA Today Sports

Este é um round de WR’s, se ainda não têm nenhum, aqui vão ter de levar obrigatoriamente um, é a vossa última opção de conseguirem ter um WR1 decente. Se já têm um ou dois wide receivers, a vossa escolha pode ser guiada pela vossa posição. Nos cinco primeiros lugares do round, levem o Eric Decker (WR), Doug Baldwin (WR) ou o Donte Moncrief (WR). O primeiro é a opção mais segura, consegue sempre no mínimo 10 TD’s, o último é capaz de cair alguns rounds, mas para o caso de não quererem arriscar, levem-no já.

Mas a coisa muda de figura se estiverem nos cinco últimos lugares. O Michael Floyd é uma boa escolha, mas logo a seguir têm o John Brown e um deles vai beneficiar à custa do outro, o Floyd tem mais upside por ser o WR1 dos Cards. No entanto, se é para pensarem num handcuff, há uma opção melhor. Se estiverem nas últimas duas posições deste round deverá ser possível levar o Jeremy Hill (RB) e depois levarem o Gio Bernard (RB) no início do sexto round. Se é para levarem só um RB, o melhor é o Latavius Murray, não o deixem passar!

Round 6 – Colmatar as falhas

Se ainda não completaram os dois RB’s ou os dois WR’s, tratem disso agora. Mas aqui, o que encontram são as melhores opções para FLEX. Latavius Murray, Jeremy Hill ou Bernard (se ainda lá estiverem); Danny Woodhead (RB) é uma boa opção devido ao facto de ser também um alvo muito usado no passe em San Diego.

Tenham atenção sobretudo aos RB’s no virar do round para o sétimo. Matt Jones e DeMarco Murray são as melhores opções. Eu sei que também lá estão o Arian Foster e o Duke Johnson, mas o primeiro não deve durar a época toda e o segundo…bem, joga pelos Browns…

Round 7 – Atenção ao autopick

Se ainda estiver lá algum dos RB’s que eu mencionei, levem-nos! Sobretudo o DeMarco porque nas rondas mais abaixo podem usar levar o Derrick Henry (RB) para fazer uma boa handcuff.

Aqui estão os jogadores com um bom potencial de TD’s: Tyler Eiffert (TE), Larry Fitzgerald (WR) e Chris Ivory (RB). O primeiro dá um bom TE1 e os outros dois são boas opções para FLEX.

Se quiserem algum jogador dos Saints, então está aqui a única opção que é segura – Drew Brees. Enquanto os receivers vão ter de dividir os targets, Brees é a fábrica.

Mas depois deste round começa a acontecer um fenómeno um pouco chato, os jogadores que estão em autopick vão começar a tirar kickers e defesas a partir daqui, tenham sempre atenção a este pormenor, porque é capaz de vos prejudicar no final da draft.

Round 8 – Rookie time!

Se é para levar rookies para além do Zeke Elliott, é agora! Aqui vão estar disponíveis Sterling Shepard (WR) e Corey Coleman (WR). Tenham em conta o problema dos Browns com QB’s antes de levarem o Corey, mas pensem também que o rookie é capaz de se assumir como o WR1 em Cleveland.

Já Shepard tem um bom QB ao seu serviço, mas tem de partilhar targets com Odell Beckham Jr e se Victor Cruz voltar em grande, é capaz de saír prejudicado.

Frank Gore (RB) e Torrey Smith (WR) também não são más opções se estiverem no final do round.

Round 9 – Go crazy or go home!

Seja qual for a vossa posição desçam no ranking. Se ainda não têm um TE, Delanie Walker é uma das melhores opções agora que estamos prestes a entrar nas últimas cinco rondas. Se têm o DeMarco Murray , façam o que disse antes e levem o Derrick Henry. Se quiserem levar um WR, Kamar Aiken é uma opção sólida.

Mas, correndo o risco de ser alvo de chacota, levem um kicker, mesmo antes de escolherem um QB. Exato, leram bem, um kicker! Agora que já acabaram de se rir, pensem nisto, um bom kicker é um jogador que vos dá consistentemente cerca de 9 pontos por jogo, o que é melhor que a produtividade de muitos RB’s e WR’s e faz muitas vezes a diferença entre ganhar e perder. Gostkowski, Hauschka e Catanzaro são as vossas melhores opções nesta posição e que vos podem levar a ganhar a vossa liga – ainda com vontade de rir?

Round 10 – Já posso levar um QB?

Se esperarem por um QB, levem Eli Manning

Se esperarem por um QB, levem Eli Manning
Foto de: Brace Hemmelgarn – USA Today Sports

Sim, se começam a ficar preocupados por ainda não terem um QB, então escolham um agora, sobretudo se gostam de ter dois QB’s. Se ainda tiver disponível, a melhor opção é Eli Manning. Se quiserem levar o Big Ben também o podem fazer, mas acho preferível descer para irem buscar o Blake Bortles.

Se acharem boa ideia e não quiserem um QB, Justin Forsett (RB) é uma outra boa opção neste round.

Round 11 – Começa o aleatório

Blake Bortles (QB), Julius Thomas (TE), Stefon Diggs (WR), Willie Snead (WR), Coby Fleener (TE) ou Derek Carr (QB) devem ser opções disponíveis. Façam a vossa escolha, se ainda não tiverem TE, os dois mencionados, são as duas últimas opções seguras. Carr e Bortles são dois bons QB1. Diggs é uma opção melhor do que Snead uma vez que é o WR1 dos Vikings.

Round 12 – É melhor jogar à defesa

Se seguiram o meu conselho e já têm um kicker, então agora é melhor escolherem a vossa defesa, se não o fizerem, então escolham o melhor kicker disponível.

A nível de defesas a opção é variada: Seahawks, Broncos, Chiefs, Cardinals e Bengals são as melhores escolhas. No entanto, se as autopicks tiverem esvaziado este lote, não tenham medo de arriscar nos Vikings, Rams, Jets ou Redskins.

Round 13 – A melhor escolha possível

Já começa a ser bastante difícil prever os jogadores disponíveis nestes últimos rounds, o meu conselho é que escolham o melhor jogador que ainda lá estiver, sobretudo se for um jogador que tenha caido dois ou três rounds, aqui é um bom steal. Mohammed Sanu (WR) ou Josh Doctson (WR) são um must para o banco de suplentes se ainda lá estiverem.

Round 14 – O vosso QB suplente

Este é o round para levarem o backup para o vosso QB, se é que costumam fazer isso. Mesmo que não o façam, qualquer um dos RB/WR disponíveis já são mais um tiro no escuro que uma certeza e por isso levar outro QB é uma escolha muito mais sólida, sobretudo porque qualquer um dos nomes que vou mencionar pode ser também um bom QB1. Kirk Cousins, Matthew Stafford e Tyrod Taylor são as melhores opções se ainda precisam de um QB principal, no entanto, apesar de serem mais seguros como suplentes, Ryan Fitzpatrick, Jameis Winston e Marcus Mariota são outras nomes que devem considerar.

Round 15 – Sigam o vosso feeling

Tenho um bom feeling à cerca de Rishard Matthews (agora nos Titans)

Tenho um bom feeling à cerca de Rishard Matthews (agora nos Titans)
Foto de: Joe Cavaretta – The Sun Sentinel

Nas ligas da NFL este é o último round e, como disse, à excepção de QB’s, kickers ou defesas, os jogadores disponíveis já são um gamble, por isso aqui, sigam aquele feeling interior, por mais louco que vos pareça. Não interessa se vão buscar um jogador com um ranking incrivelmente baixo, mesmo que ele depois vá estar lá enquanto free agent durante a época, não arrisquem. Escolham aquele backup de que ninguém fala, aquele rookie que até pode explodir a meio da época, é como quiserem.

A nível de QB’s podem escolher o Osweiller, o Sam Bradford e o Dak Prescott por exemplo. Se quiserem olhar para os rookies Laquon Treadwell (WR), Kenneth Dixon (RB) e Paul Perkins (RB) estão à vontade. Pensem fora da caixa aqui, por exemplo, Jamaal Charles, é um excelente RB1, mas o ano passado lesionou-se, o que fazer se acontecer este ano? Spencer Ware e Charcandrick West vão tomar conta do backfield e os dois deram-me algumas vitórias o ano passado, levem um deles se for preciso.

Mas este ano quem eu estou a observar neste último round são dois pares de wide receivers: Rishard Matthews e Tajae Sharpe (dos Titans) e Will Fuller e Braxton Miller (dos Texans). Até agora Matthews tem sido aquele que me tem dado um feeling mais seguro. Acho mesmo que ele pode ultrapassar os 100 pontos.

Round 16 – Se existir

Algumas ligas têm 16 rounds em vez de 15, seja como for, o conselho a seguir é o mesmo que o do round 15. Esta é aquela escolha que ninguém vos pode acusar de ser parva e pensem que a equipa que selecionaram no draft não dura a época toda, não se sintam mal por terem de trocar algumas das vossas últimas escolhas por free agents a meio da época.

About The Author

João Azevedo

Estou atualmente a licenciar-me em Ciência Política e Relações Internacionais, mas a minha paixão pelo futebol americano existe há imenso tempo. Este desporto aprisionou-me desde o primeiro segundo em que o vi e percebi que é sem dúvida o melhor desporto à face da terra! Gosto da vertente profissional e do college e sou um fã devoto dos New York Jets e dos Ohio State Buckeyes. Aquilo que mais quero, para além de ver os Jets ganharem um Super Bowl, é ajudar este desporto a crescer em Portugal e um dia, quem sabe, vir a ser treinador nesta modalidade. J-E- T-S! JETS! JETS! JETS!