LPFA 2015: Playoffs Lumberjacks @ Warriors

André Amorim 4 de Abril de 2016 Jogos LPFA, Portugal Comentários Desligados
Jonathan Mendes

LPFA 2015: Playoffs Lumberjacks @ Warriors

O jogo entre os Lumberjacks e os Warriors marcou o arranque dos playoffs da 7ª edição da Liga Portuguesa de Futebol Americano. Os Paredes Lumberjacks, que terminaram em terceiro lugar do Grupo Norte, viajaram até ao Campo da Caseta para defrontar os Braga Warriors, equipa que terminou em segundo lugar do mesmo Grupo Norte. Estas equipas já partilham um grande historial entre si, com inúmeros jogos disputados entre elas e onde a vitória – em jogo oficiais – sorriu sempre para a equipa da casa. Para nos ajudar a perceber um bocado o que aconteceu no jogo fomos falar com Rui Abreu (Lumberjacks) e com Bruno Panta (Warriors) ambos Head Coaches das suas equipas.

Historial do Treinador

Rui Abreu

Rui Abreu

Rui Abreu (Número 53 na imagem)
Foto de Paredes Lumberjacks

O Head Coach Rui Abreu está com os Lumberjacks desde o inicio do projecto, sendo que apenas esteve ausente na 2ª edição da LPFA em que curiosamente esteve ligado com os Warriors. Desde que está com a equipa como atleta/treinador compila um recorde de 25-28-00 e desde que é o Head Coach da equipa que o recorde está nos 11-11-00.

Bruno Panta

Bruno Panta

Bruno Panta
Foto de Vitor Santos

O Head Coach Bruno Panta está com os Warriors desde o início do projecto e participou em todas as edições da LPFA como jogador. Este ano assumiu o papel de Head Coach, afastando-se dos campos, e neste momento o seu recorde está nos 5-4-0

Preparação para o jogo

Inquirimos os treinadores sobre aquilo que eles se debruçaram e de que forma prepararam este embate e isto foi os pontos que nos ressalvaram: Rui Abreu: “Estudamos bem o adversário. Sabíamos os seus pontos fortes e quais os seus jogadores chave. Mas principalmente, reconhecemos quais seriam os nossos pontos fracos contra eles.” Bruno Panta: “O nosso estilo de jogo é fundamentalmente baseado na corrida, pois gostamos de tirar partido da nossa boa linha ofensiva. Apesar de inicialmente termos pensado em passar um pouco mais a bola que o normal, em resultado do adversário estar certamente preparado para tentar parar a corrida (…)”

Melhor e Pior

Durante o encontro e de acordo com a preparação o que é que correu melhor e o que é que correu pior, de acordo com ambos os treinadores. Bruno Panta: “A nossa defesa (e ST) fez um jogo bastante completo, pois apesar do TD sofrido, conseguiu com frequência devolver a bola ao ataque em posição favorável, incluindo a recuperação de dois fumbles na redzone do adversário na segunda parte.(…) Sofrer um TD defensivo nunca é uma boa maneira de iniciar um encontro. Pensamos que o nosso ataque foi um pouco abaixo com isto, e aí, enquanto treinador principal, não fiz um bom trabalho para motivar a equipa a superar essa contrariedade. Em termos ofensivos nunca conseguimos ser dominantes nas trincheiras, o que dadas as condições, era obrigatório para vencermos.(…)” Rui Abreu: “A nossa defesa. Estar mais de 10 snaps a defender o adversário a menos de 5-10 yd da endzone e não sofrer TD, é fruto de um trabalho exaustivo que tivemos na preparação para este jogo. Houve mais coisas a correr bem, mas acho que esta situação foi a chave para a vitória. Já o que correu pior diria fumbles ofensivos. Dois deles deixaram mesmo a nossa Defesa numa posição extremamente complicada. É certo que o tempo contribuiu para muitos fumbles (quer nossos quer do adversário) mas isso não pode servir de desculpa. Temos de melhorar esse aspecto no futuro.”

Pós Jogo

E agora que o jogo terminou e os Lumberjacks venceram (16-08) os Warriors – na primeira vitória oficial da equipa de Paredes sobre a equipa de Braga de que forma ambos os treinadores resumiriam o jogo? Rui Abreu: “Foi um jogo inicialmente condicionado pelo tempo. Muita chuva e algum vento que dificultou a vida, principalmente aos ataques. Na luta das defesas, a nossa esteve melhor nos momentos cruciais do jogo, e por isso ganhamos.” Bruno Panta: “Foi um jogo duro, bem disputado. Ambas as equipas se apresentaram com muita vontade de vencer, e no final, a vitória sorriu aos Lumberjacks. Uma vitória merecida para eles, que souberam tirar partido dos erros por nós cometidos, e que ao mesmo tempo conseguiram minimizar os deles.”

Mensagem Final

Alguma mensagem final que ambos os treinadores gostassem de deixar?

Bruno Panta: “A verdade é que ainda temos mais um jogo para disputar. Há quem lhes chame “a liga dos últimos”. Não vou tecer considerações ao valor do encontro nesta altura do campeonato, pois acho que este jogo será um excelente teste ao nosso carácter. No entanto, acho que estamos todos de acordo que algo deve evoluir no futuro e relação ao desenho competitivo.”

Rui Abreu: “Nada a adicionar” Com o primeiro jogo dos playoffs encerrado agora é altura de começarmos a olhar já para o próximo encontro que irá colocar frente a frente os Lisboa Navigators e Algarve Sharks, o jogo está marcado para o próximo dia 2 de Abril. Os Lumberjacks com esta vitória ficam com o destino traçado de viajarem até Lisboa para defrontarem os Lisboa Devils num duelo que promete. Este jogo está marcado para o dia 10 de Abril. Continuem a seguir a Liga Portuguesa de Futebol Americano que agora entra na fase mais decisiva da temporada.

Legenda Foto Capa

Jonathan Mendes impede que um passe chegue a “boas mãos” na segunda parte do jogo
Foto de Photosports

About The Author

André Amorim

Desde pequeno que adoro desporto e tive a oportunidade de fazer alguns, individuais e colectivos. O Futebol Americano surgiu na minha vida era eu um adolescente e desde então que estou ligado ao mesmo e tive a oportunidade de acompanhar o seu crescimento pelo Mundo e em particular no nosso Portugal. Competi durante seis anos nos Lisboa Navigators, tive a oportunidade de realizar jogos internacionais em Espanha e de me sagrar por quatro vezes campeão nacional de Futebol Americano. Mas foi em 2013 que aceitei um desafio maior e me juntei a um novo projecto, os Lisboa Devils, para assumir as funções de Head Coach. Durante todo este percurso, sempre tive ligado à divulgação e comunicação do desporto e fundei o FA Portugal, uma "entidade" que tenta reunir todos os jogadores, seguidores e amantes do futebol americano em Portugal e, em particular, da Liga Portuguesa de Futebol Americano. Aquilo que mais gosto do Futebol Americano é a capacidade que tem de nos fazer mudar processos nas nossas vidas e nos fazer crescer, quer seja como atletas, quer seja como pessoas perante a vida. Na NFL sou um "Niner" e dos meus maiores sonhos é um dia ter a oportunidade de ir a San Francisco e ver um jogo dos meus 49ers, algo que já consegui fazer mas numa das suas incursões a Londres.

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online