A Defesa é o Melhor Ataque?

João Malha 8 de Fevereiro de 2016 NFL Comentários Desligados
Peyton Manning and Cam Newton

A Defesa é o Melhor Ataque?

Temos usado até à exaustão a expressão “Os ataques ganham jogos, as defesas ganham campeonatos”. Por isso, e porque mais uma vez a expressão se materializou na vitória num Super Bowl da melhor defesa da NFL, talvez faça sentido olhar de forma rápida para as estatísticas e mostrar que de facto as equipas devem primeiro olhar para as suas defesas e só depois para os seus ataques.

Pela segunda vez nos últimos três anos, um Linebacker foi eleito o MVP do jogo mais visto do ano. Von Miller foi o escolhido ontem, depois de Malcolm Smith, dos Seahawks há dois anos. Qualquer dia, talvez tenhamos defesas a ganhar mais do que QB ou receivers, se a tendência de predominância defensiva se mantém.

Olhando para a época que agora terminou, dos ataques que mais se destacaram, apenas cinco do top-12 chegou ao playoff. E se olharmos para o jogo de passe, ainda pior, apenas quatro do top-12 chegou ao postseason. Ao invés, em termos defensivos, temos oito equipas que chegaram à fase decisiva, o que demonstra que a grande maioria das equipas que é bem-sucedida defensivamente, consegue bons resultados.

É ainda relevante atentar num dado específico, algumas das melhores defesas da NFL em 2015 foram dos piores ataques. Vikings, Chiefs, Packers, Texans, Redskins ou Broncos ficaram todos na segunda metade da tabela a nível ofensivo. Mas todas elas, com exceção dos Redskins, ficaram na primeira metade da tabela em termos defensivos e isso foi suficiente para conseguirem o tão desejado lugar na fase seguinte da prova.

Inversamente, equipas como os Saints, Giants, Chargers, Jaguars ou Eagles, foram das melhores no passe, especialmente os Saints, líderes da Liga a este nível, mas o facto de serem miseráveis a defender, de nada lhes vale para sonharem com playoffs ou títulos.

Os números são isso mesmo, números, mas por vezes quase que falam. E estes em concreto demonstram a tendência de uma liga onde claramente parece que a aposta certa é apostar na defesa, pois por muito espetacular que sejam os ataques, sem defesa não há vitórias. John Elway percebeu bem isso há dois anos quando viu o seu ataque, o melhor da NFL, perder contra a melhor defesa, por números impressionantes. Dois anos depois inverteu os papéis e tornou a defesa dos Broncos a melhor da Liga e assim chegou ao tão ambicionado anel.

É certo que muitas vezes perde o espectáculo, uma vez que o domínio defensivo traduz-se vastas vezes em jogos como o Super Bowl 50, quase nenhum passe longo ou grandes receções. Drives muitas vezes curtas, sem grande emoção. Mas em compensação enormes jogadas defensivas, turnovers, interceções… É uma questão de gosto. Pessoalmente, prefiro o estilo dos grandes passadores, tipo Brees, Brady, Rivers ou o Manning de outros tempos. Porém, devemos reconhecer o grande mérito e trabalho por detrás destas defesas. Valeu o título aos Broncos ontem, aos Seahawks há dois anos, e foi uma jogada defensiva que garantiu o anel aos Patriots no ano passado.

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online