AFC North – Previsões ou (Des)ilusões?

João Azevedo 30 de Agosto de 2016 AFC North, NFL Comentários Desligados
AFC North

AFC North – Previsões ou (Des)ilusões?

Esta divisão foi dos Bengals o ano passado. Os Steelers ainda conseguiram roubar o wildcard aos Jets e por isso também chegaram aos playoffs. Mas Baltimore e Cleveland tiveram uma época muito má, sobretudo os Browns. Irão haver mudanças nas classificações do ano passado?

Baltimore Ravens

Flacco lança sob pressão de Atkins (DE)

Flacco lança sob pressão de Atkins (DT)
Foto de: Mitch Stringer – USA Today Sports

Os Ravens vão tentar recuperar de uma má época o ano passado, o problema é que olhando para este depth chart não sei se as mudanças são suficientes.

Comecemos pela oitava melhor defesa do ano passado que os rankings apresentam como a oitava pior para este ano. Gosto da chegada de Kamalei Correa (LB), tem feito uma pre-season interessante depois de ser escolhido na segunda ronda da draft pelos Ravens. Junta-se a Elvis Dummervil (que saiu da PUP list), Terrell Suggs e CJ Mosley para construírem um núcleo de linebackers forte. A chegada do safety Weddle, ex-Chargers, faz dele o único nome a destacar nesta secondary (talvez Webb mereça uma pequena atenção) e a partir daí não há muito mais notas positivas a fazer sobre esta defesa.

Joe Flacco (QB) precisa de melhorar imenso este ano, sobretudo porque a idade parece ter levado Steve Smith (WR) para o fundo do depth chart onde faz agora companhia a Perriman. No entanto a chegada de Mike Wallace (WR) dá-lhe agora mais opções no passe para além de Kamar Aiken (que é capaz de vir a ter uma mais época produtiva neste core). A chegada do TE Benjamin Watson também era positiva mas as mais recentes notícias indicam que este rasgou o tendão de aquiles e fica de fora o resto da época. Flacco também se encontra agora protegido no seu blind side pelo rookie Ronnie Stanley, que veio de Notre Dame para ganhar o lugar de titular.

A profundidade deste backfield é interessante: o rookie Dixon é RB4 atrás de Terrance West, Javorius Allen e do starter Justin Forsett.

Mas, ainda que Baltimore tenha vencido os dois jogos que fez nesta pré-época (um deles aos Panthers), eu repito o aviso: “não se deixem enganar”! Como já disse, a pré-época raramente é sinal de alguma coisa a não ser de lugares no depth chart e avaliar os rookies draftados.

Claro, a agenda dos Ravens podia ser pior, mas para uma equipa que só ganhou 5 jogos o ano passado, qualquer adversário é complicado, procurem ver o jogo da segunda semana da época regular de Baltimore. É em Cleveland contra os Browns e pode servir como um indicador de como será a época de ambas as equipas na divisão.

Cincinnati Bengals

Os Bengals… uma equipa interessante, parecem ser fortes tanto no ataque e na defesa, o que lhes dá a vantagem sobre os Steelers nesta divisão. Andy Dalton (QB) fez uma boa época e parece estar preparado para continuar assim. As armas estão lá, mesmo com Tyler Eifert lesionado até por volta da quarta semana, este wide receiver core tem talento mais que suficiente com AJ Green, Brandon LaFell (que veio dos Patriots), o rookie Tyler Boyd, Brandon Tate e Mario Alford.

Também o backfield de Cincinnati tem talento com Jeremy Hill e Giovani Bernard a terem de partilhar a posição de running back e estes dois são capazes de ser a melhor dupla da NFL nesta posição.

À defesa também não lhe faltam nomes a referir, a defensive line tem Geno Atkins (DT) e Carlos Dunlap (DE); Karlos Dansby (LB) chega para acrescentar talento a um núcleo de linebackers onde Vontaze Burfict vai cumprir uma suspensão de 3 jogos. A secondary talvez seja a única parte que carece de uma referência visto que a primeira escolha da draft dos Bengals (William Jackson III) vem bem no fundo do depth chart.

Os Bengals têm uma agenda complicada com encontros com os Broncos e Patriots e o desafio começa logo nas primeiras duas semanas: vão a Nova Iorque no dia 11 de Setembro jogar contra os Jets e logo a seguir visitam os Steelers. No entanto, não vejo razões que impossibilitem a entrada nos playoffs por parte de Cinci.

Cleveland Browns

A defesa dos Browns têm de melhorar muito para acompanhar Brown

A defesa dos Browns tem de melhorar muito para acompanhar Brown
Foto de: David Richard – Associated Press

Os Browns…Às vezes acho que ser um fã dos Jets é frustrante porque nós não ganhamos um Super Bowl desde 68, mas depois lembro-me que existem os Browns e sorriu para dentro. Pelo menos nós temos um Super Bowl, os Browns são uma de 4 equipas da NFL que não têm. Cleveland não ganha uma divisão desde 89 quando ainda era a AFC Central e desde 2002 que não se vê os Browns chegar aos playoffs. Desde essa data que esta equipa só conseguiu sair duas vezes do último lugar e só uma delas é que foi uma winning season (mais de 50% de vitórias – 2007).

Vamos olhar primeiro para a defesa. Perguntem-me se existe algum jogador defensivo com ranking projetado dentro do top 30…Zero, nem um. Assim é difícil, mas talvez a draft tenha trazido algum talento com Ogbah (LB), Schobert (LB) e Kindred (SS). Para além deles talvez se possa falar da chegada de Kruger (LB) dos Ravens e Demario Davis (LB) dos Jets. Depois destes, ainda se podem mencionar os sophomores Shelton (NT), Cooper (DE) e o LB Nate Orchard. Ainda assim, a defesa de Cleveland precisa de amadurecer muito para ser desafiante para os adversários.

No ataque gosto de Thomas (LT), Erving (C) e Greco (RG), que no entanto têm de melhorar muito enquanto conjunto para ajudar mais esta equipa que ainda está indecisa nas suas key positions. Ora, primeiro que tudo a posição considerada mais importante – QB. Os Browns têm RGIII como o seu QB1 e depois Josh McCow, mas esta decisão só vai ser tomada no início da época regular, quem sabe até usam os dois (o que nunca é boa ideia). Depois, no backfield também vai ser usada uma dupla, formada por Isaiah Crowell e Duke Johnson, o que nem é mau de todo desde que ambos consigam ter uma boa época.

Alvos para o passe? O rookie Rashard Higgins (WR) ainda vai demorar tempo a desenvolver; Taylor Gabriel é WR5 por alguma razão; Josh Gordon (WR) vai ter de cumprir 4 jogos de suspensão, mas é capaz de vir ajudar o ataque quando regressar (isto se os rumores de os Browns o quererem trocar forem mentira); o rookie Corey Coleman já ganhou o lugar de titular na posição e promete ter uma época bastante boa ao lado de Terrelle Pryor (WR). Sobre o tight end Gary Barnidge não há muito a dizer, é um dos melhores da liga e uma clara mais valia para esta passing offense.

Se os Panthers, por exemplo, parecem estar acima da agenda, para os Browns qualquer adversário é complicado. Mas a época está quase a começar e os fiéis (ou masoquistas?) fãs dos Browns preparam-se para apoiar a sua equipa, esperando que esta época não seja outro desastre.

Pittsburgh Steelers

Os Steelers e os Bengals são equipas parecidas no que toca ao roster. Pittsburgh também tem um QB sólido com Roethlisberger, uma dupla forte de running backs (Le’Veon Bell – a cumprir uma suspensão de 4 jogos – e DeAngelo Williams) e um wide receiver core com muito talento – Antonio Brown (um dos melhores, se não o melhor WR da liga), Markus Wheaton, Sammie Coates e Darrius Heyward-Bey – se bem que o ano passado era melhor. Falta um TE tão bom como Eifert, sobretudo com Green na PUP list.

A defesa já é outra história. Uma defensive line com Tuitt e Heyward e um corpo de linebackers com Timmons e o sophomore Bud Dupree, não são o suficiente para conseguir que esta defesa se aproxime sequer da dos Bengals o que dificulta bastante a tarefa de ganhar esta divisão.

No entanto, a agenda dos Steelers é bem mais acessivel que a dos Bengals e se o “velho” Ben conseguir comandar bem as suas tropas, talvez o acesso aos playoffs seja feito diretamente e não através de um wildcard.

Conclusão

Na AFC North a luta pelo título é capaz de se resumir a Bengals e Steelers, isto porque tanto Browns como Ravens ainda precisam de melhorar muito para atingir os seus adversários na divisão. Uma defesa melhor é capaz de favorecer os Bengals, mas a agenda parece estar do lado dos Steelers. No entanto, ambas podem chegar aos playoffs, à semelhança do ano passado.

About The Author

João Azevedo

Estou atualmente a licenciar-me em Ciência Política e Relações Internacionais, mas a minha paixão pelo futebol americano existe há imenso tempo. Este desporto aprisionou-me desde o primeiro segundo em que o vi e percebi que é sem dúvida o melhor desporto à face da terra! Gosto da vertente profissional e do college e sou um fã devoto dos New York Jets e dos Ohio State Buckeyes. Aquilo que mais quero, para além de ver os Jets ganharem um Super Bowl, é ajudar este desporto a crescer em Portugal e um dia, quem sabe, vir a ser treinador nesta modalidade. J-E- T-S! JETS! JETS! JETS!