Road to Super Bowl 50: Denver Broncos

João Malha 6 de Fevereiro de 2016 Equipas NFL, NFL, Superbowl Comentários Desligados
Denver Broncos

Road to Super Bowl 50: Denver Broncos

O caminho de Denver Broncos e Carolina Panthers para o Super Bowl 50 foi muito distinto. Mas até começou de forma semelhante. Ou seja, com vitórias atrás de vitórias. Só que os Broncos perderam-se no meio do percurso, o que os deixou quase de fora dos playoffs, já os Panthers, qual Fórmula 1, aceleraram a todo a velocidade rumo ao objetivo mais desejado.

Foi uma época atípica para os Broncos. Começaram com vitórias mas sem convencer, especialmente no ataque, com Peyton Manning a somar interceções atrás de interceções. Porém, a sua defesa foi o grande trunfo. Valeu muitas vitórias, quer em jogos onde o ataque claudicou gravemente, sem conseguir um só TD, quer nos jogos contra os rivais mais fortes da NFL.

Apesar da montanha russa de emoções, Peyton Manning será aos 39 anos o mais velho QB a jogar um Super Bowl. Esteve fora boa parte da época, por uma lesão na planta do pé, mas após o regresso na fase final da época, conseguiu não comprometer e apesar de estar a anos luz do nível que o notabilizou, ajudou a garantir o lugar no playoff como vencedor da AFC, quando duas semanas antes estava até em risco de não ir aos playoffs.

Isto, porque depois de oito vitórias a abrir a época, seguiram-se sete jogos onde apenas conseguiram 3 vitórias, deixando-os na corda bamba para o postseason. O jogo decisivo acabou por ser a vitória sobre os Bengals em Cincinnati, na semana 16, num jogo decidido em overtime. Estava assegurado não só o playoff como a vitória na divisão e uma bye no wild-card weekend que acabaria por ser ainda melhor pois os Broncos ganharam mesmo a conferência, ficando com o homefield advantage.

Depois da bye no wild-card weekend, os Broncos ganharam o primeiro jogo do playoff, frente a um dos melhores ataques, o dos Pittsburgh Steelers. Foi um jogo equilibrado, como muitos dos Broncos ao longo da época, mas a defesa acabou por ser decisiva ao conseguir parar Ben Rothlisberger e companhia. Beneficiaram também de muitas baixas e limitações no adversário para conseguir contrariar uma equipa que tinha marcado o maior número de pontos aos Broncos na fase regular.

Chegava então a final da AFC frente aos campeões New England Patriots, que pareciam claros favoritos. Porém, Manning mostrou que ainda consegue ser competente e conduziu a sua equipa a uma liderança já perto do fim que os Patriots tudo fizeram para contrariar, mas o 2pt conversion na última jogada do jogo, que daria o empate, foi contrariado pela magnífica defesa da formação do Colorado. Uma jogada que foi o paradigma da época: a defesa dos Broncos ganha jogos. E muitos!!

Assim, os Broncos conseguem o seu segundo Super Bowl em três anos. Certamente, com a expectativa que o desfecho seja diferente do de há dois anos. Até porque não só a equipa de Denver já é a que mais derrotas soma no Super Bowl (5 em 7 presenças) como o próprio Peyton Manning apenas venceu por uma vez as três finais que disputou. Será que consegue fechar a carreira com chave de ouro, ao ganhar o Super Bowl, igualando o seu irmão e conseguindo ganhar o anel por duas equipas diferentes?

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online