Redskins @ Saints: RG3 e os Redskins Estragam Festa aos Saints

José Guia 18 de Setembro de 2012 Análise Jogos NFL Comments

Washington Redskins at New Orleans Saints

1 2 3 4 F
Washington Redskins 10 10 10 10 40
New Orleans Saints 7 7 3 15 32

Os Washington Redskins liderados pelo seu “rookie” quarterback Robert Griffin III foram a New Orleans estragar a festa aos adeptos dos Saints, que se preparavam para começar a temporada regular com uma vitória. No entanto foram os Redskins, que com 10 pontos em cada período, deram um show de bem jogar futebol americano e levaram de vencida os Saints por 40 – 32.

Naquele que é um dos estádios (Superdome) com o ambiente mais adverso para qualquer equipa adversária, mercê dos fanáticos e fiéis adeptos dos New Orleans Saints, os Redskins não se intimidaram e fizeram um jogo digno de registo.

O jogo começou com o quarterback Drew Brees e a linha ofensiva dos Saints a não conseguirem furar a defesa dos Redskins e após 3 tentativas viram-se forçados a chutar a bola.
Em campo entrava o rookie quarterback Robert Griffin III (RG3 – memorizem esse nome) e a linha ofensiva dos Redskins, naquele que viria a ser o primeiro “drive” na temporada regular, desde 1961 por parte de um rookie como quarterback titular dos Redskins (o último havia sido Norm Snead).

E até não começou mal, após alguns passes com sucesso e jogadas em corrida, os Saints conseguiram limitar os Redskins a um “field goal” de 37 jardas convertido pelo “kicker” Billy Cundiff. Começava assim o placar a funcionar com 3-0 para os Redskins, ficando desde logo na retina algo de muito interessante por parte de RG3. Os adeptos da casa por esta altura não estranhavam e, apesar de terem sofrido um “field goal” continuavam a fazer a festa como é habitual no Superdome.

O “quarterback” Dree Brees e o seu ataque entravam novamente em campo com a intenção de mostrar que, em New Orleans, são eles quem mandam. Num drive bem conseguido, que culmina com um excelente passe de 20 jardas do quarterback Drew Brees para o “tight end” Jimmy Graham fazer o “touchdown”, os Saints conseguiam a liderança e tudo parecia se encaminhar para o que era esperado por muita gente, a vitória dos Saints.

No entanto do outro lado estava aquele, que talvez viria a ter a melhor estreia de um rookie quarterback, Robert Griffin III. No “drive” seguinte dos Redskins não há muito a contar, apenas que RG3 enviou uma bomba de 88 jardas (16 jardas pelo ar + 72 de corrida) para o wide receiver Pierre Garçon fazer “touchdown” e voltar a colocar os Redskins na dianteira do marcador! Este drive nem chegou a tirar 30 segundos ao tempo de jogo.

Washington Redskins' Robert Griffin III

Robert Griffin III dos Washington Redskins, foi a grande estrela do jogo
Fonte da Imagem: Jonathan Bachman/Reuters

Começava aqui o descalabro dos Saints e o domínio em toda a linha por parte dos Redskins. O primeiro período termina sem que Dree Brees e os Saints conseguissem responder. Com 10 – 7 favorável aos Redskins o segundo período começa com o quarterback RG3 a engendrar mais um excelente “drive”, com passes de 23 jardas para o wide receiver Fred Davis e, já na red zone, um passe de 5 jardas para o “touchdown” do wide receiver Aldrick Robinson.

Após este touchdown o marcador apontava 17 – 7 para os Redskins, e o relógio indicava que os Saints apenas tinham 11m33s para inverter o resultado até ao intervalo. No entanto, no “drive” seguinte, a única coisa que os Saints e o quarterback Drew Brees conseguiram foi este sofrer um “sack”, fazendo com que tivessem de chutar a bola do mesmo sítio de onde tinham começado o “drive”.

Mais uma vez eram os Redskins e o quarterback Robert Griffin III quem estavam em campo, e apesar de mais um bom “drive” no qual RG3 ganhou várias jardas em corrida, os Saints conseguiram contê-los já na “red zone” e os Redskins tiveram que se contentar com um “field goal” de 41 jardas concretizado pelo “kicker” Billy Cundiff. Enquanto a vantagem para os Redskins se ia acumulando para os Saints a única coisa que se acumulava eram os erros no ataque.

Quando o “quarterback” Drew Brees e o seu ataque pareciam estar a fazer um bom “drive”, eis que um passe deste para o wide receiver Marques Colston termina em “fumble”. Após ter recebido a bola, Marques Colston corre para ganhar mais algumas jardas mas sofre uma placagem por parte do cornerback Cedric Griffin, o que faz com que perca a bola e esta role para lá da zona de touchdown sem que ninguém a conseguisse recuperar, resultando num “touchback”.

Os Saints apenas conseguiram chegar a novo “touchdown” na primeira parte de forma pouco habitual. No último “drive” da 1ª parte os Redskins veem-se obrigados a chutar a bola, no entanto esta é bloqueada pelo “defensive end” dos Saints Martez Wilson, sendo a bola recuperada pelo “wide receiver” Roby Courtney conseguindo levar a mesma até à “end zone” e concretizando o touchdown, coisa que o ataque não tinha voltado a conseguir.

As equipas foram para o intervalo com o resultado 20 – 14 favorável aos Washington Redskins.

A 2ª parte começa com o quarterback Robert Griffin III e o seu ataque a querer demonstrar que o que se tinha passado não era obra do acaso ou da sorte. Com um drive recheado de bons passes por parte de RG3 e, beneficiando de uma falta cometida pelo “safety” Roman Harper dos Saints, rapidamente os Redskins chegaram a mais um “touchdown”, desta vez numa corrida de 1 jarda por parte do “running back” Alfred Morris.

Redskins vs Packers Highlights

Highlights do jogo entre os Washington Redskins e os New Orleans Saints

Com 27 – 14 no marcador, os adeptos dos Saints já desesperavam, e rezavam para que o quarterback Drew Brees fizesse uma segunda parte de luxo.
No entanto nem Drew Brees nem a restante equipa estavam para aí virados. Nota disso é o primeiro “drive” que fazem na segunda, não conseguindo sequer fazer 10 jardas por uma única vez.

Do lado contrário os Redskins, de cada vez que entravam em campo, eram quase certos que faziam pontos, como aconteceu em seguida, desta vez num “field goal” de 37 jardas que o “kicker” Billy Cundiff concretizou sem dificuldade.

A primeira vez que os Saints pontuaram na segunda parte foi num “drive” algo conturbado, para além de muitos passes incompletos, os Saints acabaram ainda por perder o “wide receiver” Devery Henderson por lesão. Henderson, após receber um passe de Drew Brees, sofreu dura placagem do “safety” Madieu Williams. Drew Brees ainda conseguiu encaixar um excelente passe de 25 jardas para o “wide receiver” Marques Colston, no entanto tiveram que se contentar com um “field goal” de 21 jardas do “kicker” Garrett Hartley.

Por esta altura entrávamos no 4º período e o resultado era de 30 – 17, ou seja duas posses de bola de diferença.

Os Redskins começavam já a gerir a bola procurando gastar tempo de jogo e evitando que o ataque dos Saints entrasse em campo, devido a isso a qualidade do jogo atacante diminuiu, resultado disso o quarterback Robert Griffin III via um passe seu ser quase interceptado, mesmo assim o ataque dos Redskins jogava o suficiente e ia acumulando pontos no marcador. Desta vez era mais um “field goal” de 45 jardas para a conta pessoal do “kicker” Billy Cundiff.

No entanto o ataque dos Saints e Drew Brees não conseguiam sintonizar o seu jogo e o tempo ia passando, Drew Brees sofreu um “sack” pelo “linebacker” Ryan Kerrigan, e os Redskins perderam por lesão o “safety” Jordan Bernstine e o “cornerback” Josh Wilson. O resultado deste “drive” por parte dos Saints foi um pontapé para a frente.
O jogo rapidamente caminhava para o fim e os Redskins procuravam gerir a vantagem, talvez por isso fizeram o pior “drive” do jogo inteiro na vez seguinte que entraram em campo, pois não conseguiram pontuar nem queimar muito tempo ao cronómetro.

O ataque dos Saints mais uma vez entrava em campo, e por fim, os seus adeptos puderam ver um “drive” engendrado pelo “quarterback” Drew Brees onde mostrou rasgos daquilo que realmente sabe fazer. Apesar de ter conseguido 3 passes completos e outros tantos incompletos Brees conseguiu levar a equipa até ao “touchdown” num passe de 33 jardas que mais parecia uma bala teleguiada para as mãos do “wide receiver” Lance Moore. Após o “touchdown” os Saints apostaram e concretizaram uma jogada em corrida que lhes deu 2 pontos extra pelo “running back” Darren Sproles.

Com 6m19s ainda para jogar os Saints voltavam a entrar em jogo, para isso bastava que a defesa conseguisse parar o ataque, até aí infalível, dos Redskins para que Brees e o ataque voltassem novamente ao campo.

E foi isso mesmo que aconteceu, o “quarterback” dos Redskins RG3 ao tentar dar a bola ao “running back” acabou por escorregar e sofrer um sack pelo “cornerback” Patrick Robinson, após essa jogado os Redskins viram-se obrigados a ter que chutar a bola para a frente.

Quando os adeptos dos Saints esperavam que a equipa fosse recuperar são brindados nada mais nada menos que por uma intercepção na primeira tentativa do “quarterback” Drew Brees, o passe que tinha como destinatário o “tight end” Jimmy Graham, acabou por ficar nas mãos do “safety” Dejon Gomes que correu até às 3 jardas do terreno dos Saints num ganho de 49 jardas, deixando em excelente posição o ataque dos Redskins.

Redskins vs Saints

O Wide Receiver dos Saints, Devery Henderson, lesionou-se nesta dura jogada
Fonte da Imagem: Michael DeMocker / The Times-Picayune

E bastou apenas uma jogada para que os Redskins concretizassem a excelente jogada anterior, o “running back” Alfred Morris recebeu a bola do “quarterback” RG3 e com uma fraca oposição da defesa conseguiu fazer o “touchdown”.

Era o descalabro total para os Saints e os seus adeptos, com 3m18s para terminar o jogo era quase uma missão impossível Drew Brees levar a equipa dos Saints até à vitória, no entanto em mais um “drive” recheado de passes incompletos, Brees ainda conseguiu encaixar os suficientes para que num passe de 2 jardas para o “running back” Darren Sproles, os Saints conseguissem mais um “touchdown” reduzindo assim o resultado.

Com 8 pontos de diferença e sem tempo para muito mais a única coisa que os Saints conseguiram foi ver novamente um passe de Drew Brees ser interceptado na “end zone” pelo “safety” Reed Doughty.

Terminava assim o jogo com uma pequena diferença no marcador mas uma grande diferença no jogo jogado das duas equipas.

Durante grande parte do jogo não parecia que o “rookie quarterback” estava no lado dos Redskins, o que Robert Griffin III mostrou é muito bom para alguém que começa agora a sua carreira no alto patamar do futebol americano. O melhor que se pode dizer é que os Redskins prometeram coisas muito boas neste jogo para os seus adeptos durante esta temporada.

Quanto aos Saints, apesar de não terem alguns jogadores influentes da sua defesa, e de faltar no banco o treinador principal da equipa Sean Peyton devido ao “Bounty Scandal”, não é motivo para que a equipa tenha baixado tanto de rendimento em relação à época passada! Se realmente for esse o motivo então preparem-se fãs dos Saints que este ano vai ser uma travessia no deserto.

As Nossas Escolhas

MVP: QB Robert Griffin III com 26/19, 320 jardas, 2TD, 0 INT como registo no primeiro jogo como profissional fica tudo dito.

 

Positivo: O treinador dos Redskins Mike Shanahan e a sua estratégia, boa actuação dos árbitros.

 

Negativo: Drew Brees, lesões dos jogadores dos Redskins

About The Author

José Guia

Nascido da bela colheita de 1983 e criado no Algarve desde cedo comecei a praticar o futebol Europeu, joguei 13 anos federado no Silves Futebol Clube e sempre fui adepto da prática de desporto. Sou fã de várias modalidades para além do "soccer", mas foi em 2007 num belo ano que vivi em Lisboa, que comecei a conhecer o Futebol Americano, em conjunto com o meu grande amigo João Mestre tivemos a enorme felicidade de acompanhar a quase perfect season dos New England Patriots, infelizmente não desfrutamos da vitória no Superbowl mas começamos isso sim a desfrutar, apreciar e adorar este grande desporto que é o Futebol Americano. Como não poderia deixar de ser sou fã dos Patriots, não só por essa época em particular mas também por já gostar dos Boston Celtis (Basket) e da cidade de Boston em si. Hoje em dia costumo dizer aos meus amigos que sou Leão de coração e Patriota (Patriots) de alma.