Aaron Hernandez – 180º na Direcção Errada

José Guia 30 de Julho de 2013 Jogadores, NFL Comments
Aaron Hernandez

Aaron Hernandez – 180º na Direcção Errada

Este artigo é uma tradução com mais uns pózinhos do original publicado no Bleacher Report
http://bleacherreport.com/articles/1685469-complete-timeline-of-the-rise-fall-of-aaron-hernandez

Foi talvez a notícia mais chocante de todas as que foram surgindo durante este longo verão sem Futebol Americano. Caiu que nem uma bomba atómica em Boston (mais precisamente no Gillette Stadium) e espalhou consternação por toda a NFL: Aaron Hernandez, jovem Tight End dos New England Patriots era acusado do homicídio de Odin Lloyd, um jovem de 27 anos, semi-profissional de Futebol Americano e presumivelmente amigo de Aaron Hernandez.

Aaron Hernandez

Aaron Hernandez nos New England Patriots
Fonte Imagem: Kim Klement-US PRESSWIRE

Antes de aprofundar ainda mais situação importa não esquecer que o mais trágico nesta triste história é a morte de Odin Lloyd e o vazio que fica por preencher nos corações dos seus familiares.

Por esta altura Aaron Hernandez encontra-se a aguardar julgamento, em prisão privativa, enquanto as autoridades reúnem provas que suportem a acusação de homicídio. A pergunta que fica no ar é o que leva alguém que está a concretizar o que para muitos é um sonho, ser jogador profissional de Futebol Americano, que é considerado uma das jovens estrelas em ascensão no desporto, a virar 180º na direcção errada e arruinar a sua carreira, destruindo a vida de outras pessoas e arriscando a ficar preso para o resto da sua própria vida.

Certamente que não existe uma resposta definitiva para tal, mas agora que a poeira vai assentando, vamos procurar conhecer um pouco melhor quem foi Aaron Hernandez e tentar dar algum sentido (se é que tem sentido), ao porquê de ele ter chegado onde chegou.

Um Jovem Revoltado

A história de Aaron Hernandez pode começar a ser contada pela altura em que andava no liceu, pois foi nessa altura que as primeiras nuvens negras surgiram através de comportamentos naturais de um jovem revoltado e agressivo. À entrada para o seu ano de sénior, Aaron era uma estrela da equipa de futebol americano do colégio que frequentava, o Bristol Central High School no Connecticut mas não demonstrava ser um jovem problemático.

Aaron Hernandez

Aaron Hernandez no liceu
Fonte da Imagem: Patrick Raycraft

No entanto após ele e a sua família terem sofrido uma grande perda com a morte do seu pai, Dennis Hernandez, em Janeiro de 2006 vítima de complicações após cirurgia a uma hérnia, Aaron Hernandez ficou devastado e o seu comportamento mudou radicalmente. Tornou-se agressivo com a família, começou a fumar marijuana e começou a dar-se com “más companhias” pela cidade de Bristol. Em 2009 Terri Hernandez, mãe de Aaron dava uma entrevista em que falava desses tempos difíceis, dizendo que ele viva muito revoltado, era muito agressivo e que o choque de ter perdido o pai tinha-o tornado num rapaz diferente.

Paralelamente a sua carreira no terreno de jogo continuava em grande forma, não revelando qualquer tipo de mudança para pior, antes pelo contrário pois um ano após ter estabelecido o recorde nacional a nível de liceu de 181 jardas de recepção por jogo, no seu último ano de liceu continuou a ser uma força dominante conseguindo 1800 jardas totais e 17 touchdowns.

A única alteração que a morte do seu pai provocou em Aaron Hernandez a nível de futebol americano foi no caminho a seguir após terminar o liceu, pois se inicialmente tinha intenção de seguir as pisadas do seu pai e entrar na Universidade de Connecticut, a morte deste fez com que mudasse de ideias e escrevesse uma carta de intenções a afirmar que gostaria de jogar para Urban Meyer, consagrado treinador dos Florida Gators da Universidade da Florida.

Florida, Tempos Turbulentos

Essa pretensão acabou por se concretizar e em Janeiro de 2007 Aaron Hernandez tornava-se jogador dos Florida Gators, mudando de ares como ele pretendia. No entanto não demorou muito tempo até que os problemas voltassem a surgir. Como freshman (1º ano de universidade) Hernandez não jogou muito e deu pouco nas vistas dentro de campo, fazendo 151 jardas e 2 touchdowns.
Mas fora de campo a história era bem diferente. Durante esse ano Aaron Hernandez, com 17 anos, foi preso após confusão num bar. Viria a ser libertado após chegar a acordo em tribunal, fazendo a acusação desistir da queixa.

Aaron Hernandez

Tim Tebow e Aaron Hernandez Florida Gators
Fonte da Imagem: Dave Martin/AP Photo

Em Setembro desse mesmo ano, após um jogo que os Gators viriam a perder contra Auburn, Aaron Hernandez viria a ser interrogado, juntamente com mais 3 companheiros de equipa, numa situação bem mais grave, um tiroteio que deixou dois homens feridos, um deles em estado grave. Não foram apresentadas queixas contra Aaron Hernandez ou restantes companheiros, mas segundo o Sentinel (jornal local) amigos de Hernandez vindos de Bristol estiveram na cidade para assistir ao jogo.

A época de 2008 também não começou da melhor forma, pois Hernandez começou a temporada suspenso, suspensão essa que mais tarde ele viria a admitir ter sido por acusar positivo a marijuana num teste a drogas.

Após mais este sinal de alarme Hernandez pareceu acalmar com o desenrolar da época vindo mesmo a destacar-se em relação aos companheiros com 57 jardas na vitória sobre Oklahoma no BCS National Championship de 2009.

Em 2009 tudo parecia ter voltado à direcção certa, após conseguir 68 passes para 850 jardas e 5 touchdowns, Hernandez ganharia o troféu John Mackey atribuído ao melhor Tight End a nível universitário. Segundo a imprensa da altura, o seu treinador Urban Meyer, acreditava que ele tinha virado uma página na sua vida e que dali para a frente tudo se iria endireitar, sentimento esse partilhado também por Terri Hernandez, mãe de Aaron, dizendo que o seu filho feliz e amoroso tinha voltado após 3 anos de sofrimento e quando ela julgava já o ter perdido de vez.

Infelizmente, à luz destes acontecimentos é caso para dizer que não passou de desejos infundados.

“The Patriot Way”

Em 2010 Aaron Hernandez prescindiu do seu ano de sénior (último na universidade) e resolveu entrar no draft para a NFL. Apesar do seu talento e sucesso conseguido na universidade, Hernandez era visto pelas equipas da NFL como uma escolha arriscada tendo em conta o seu passado fora de campo. Várias equipas afirmaram que não pretendiam seleccioná-lo devido ao seu alegado consumo de marijuana contínuo e por alegadamente pertencer a gangs na sua terra natal de Bristol.

O draft decorreu sem que nenhuma equipa o seleccionasse nas primeiras rondas, até que na 4ª ronda os New England Patriots o escolheram naquela que foi a 113º escolha geral do draft.

Provavelmente esta escolha deveu-se em grande parte ao facto de anteriormente ao sorteio e ciente do facto do seu passado o poder afectar junto das equipas, Aaron Hernandez ter escrito uma carta aos New England Patriots, à semelhança do que havia feito com os Florida Gators, a afirmar que já não era a mesma pessoa, que as drogas e os relacionamentos com gangs tinham ficado para trás e onde sugeria até que o seu contrato tivesse uma componente onde só receberia determinados valores se conseguisse cumprir determinados objectivos, sendo um deles submeter-se voluntariamente a 8 testes para despiste de drogas.

E tudo parecia ser verdade! Aaron Hernandez não demorou tempo a causar impacto na estrutura e equipa dos Patriots. Logo no seu segundo jogo, contra os rivais de divisão New York Jets, Hernandez conseguiu apanhar 6 passes para 101 jardas fazendo dele o jogador mais jovem desde 1960 a ultrapassar a barreira das 100 jardas num jogo.

Hernandez acabou a sua época de estreia (rookie) com uns impressionantes 45 passes recebidos para 563 jardas e 6 touchdowns. A época seguinte seria ainda melhor com Hernandez a conseguir 79 passes recebidos para 910 jardas e 7 touchdowns, os Patriots chegavam ao Superbowl e Hernandez era seleccionado para o Pro Bowl. Estávamos na época de 2011 e mais importante que estes registos o facto de não haver sinal de qualquer tipo de problema fora de campo. Por esta altura toda a gente pensava que o risco da escolha tinha compensado e que estávamos perante uma jovem estrela com um futuro promissor pela frente.

Sinal de que a equipa assim pensava, foi o facto de terem proposto a extensão de contrato de Aaron Hernandez por mais 5 anos, no valor de 40 milhões de dólares em Agosto de 2012.

Na altura Hernandez afirmou sentir-se humilde e profundamente grato pelo gesto dos Patriots, afirmando ainda que era o melhor dia da vida dele e que jamais o iria esquecer. Hernandez afirmava também que havia sido mudado pelo trabalho do treinador Bill Belichick e pelo “Patriot Way”.

Em 2012 os seus números não seriam tão impressionantes devido a uma temporada apoquentada por lesões. No entanto toda a gente lhe augurava um futuro brilhante.

O Homicídio de Odin Lloyd

Em 13 de Junho de 2013 uma queixa contra Aaron Hernandez era apresentada por Alexander Bradley, um conhecido de Hernandez. Segundo este uma arma na posse de Hernandez havia sido disparada após uma discussão entre os dois em Fevereiro de 2013 à saída de um bar de strip na Flórida, disparo esse que atingira a cara de Bradley fazendo com que perdesse o olho direito.

Quatro dias depois, essa mesma queixa seria retirada para mais tarde, no mesmo dia, voltar a ser apresentada. Estávamos a 17 de Junho de 2013, o mesmo dia em que o corpo de Odin Lloyd seria encontrado.

O corpo de Odin Lloyd foi encontrado numa zona industrial a cerca de 1km da casa de Aaron Hernandez, em North Attleboro. A namorada de Lloyd e a namorada de Hernandez são irmãs, como tal eram conhecidos um do outro. Nesse mesmo dia a polícia interrogou Hernandez pois tinham indicações de que tinham sido vistos juntos na noite anterior.

No dia seguinte a polícia revistava a casa de Aaron Hernandez durante mais de duas horas. No dia 20 de Junho a polícia voltava a casa de Hernandez e começavam a aparecer informações pertinentes acerca do conhecimento e participação deste num acto criminoso.

Entre buscas à casa de Hernandez e informações que diziam que havia provas de que um carro conduzido por este havia sido visto numa das cenas do crime, os dias foram passando, com a polícia a acusar Hernandez de obstrução à investigação.Informações dizem que este destruiu todo o sistema de vigilância em casa, mandou uma empresa efectuar uma limpeza a fundo e ainda que destruiu o telemóvel na frente das autoridades. As investigações continuaram e na manhã do dia 26 de Junho de 2013 a polícia voltava à casa de Aaron Hernandez, mas desta vez sairiam com ele de mãos algemadas atrás das costas.

Aaron Hernandez

Aaron Hernandez preso pelas autoridades
Fonte da Imagem: Boston Globe via Getty Images

Após esta notícia os Patriots não perderam tempo e libertaram Aaron Hernandez do contrato que os ligava. Segundo Marc Sessler da NFL.com os Patriots haviam tomado a decisão de que libertariam Aaron Hernandez caso este fosse preso.

A Prisão e as Acusações

Por esta altura toda a gente esperava para saber quais seriam as acusações, e apesar de tudo o que se sabia até ao momento não deixou de ser chocante quando se ficou a saber que Aaron Hernandez foi acusado de homicídio em primeiro grau incluindo a posse de uma arme de elevado calibre.

Segundo Kevin Manahan e Chris Strauss do USA Today a queixa crime alega que: “Em 17/06/2013, Hernandez atacou e agrediu Odin Lloyd com a intenção de o matar, e com tal ataque e agressão ele conseguiu mesmo matar e assassinar essa pessoa” (tradução livre).

A ESPN adiantou ainda que a acusação afirmou mesmo tratar-se de uma execução. Ainda segundo a ESPN a acusação em tribunal afirmou que a morte nasceu de uma viagem a um clube de strip em Boston na noite de 14 de Junho.

“Hernandez e dois amigos apanharam Lloyd em casa por volta das 2:30 da madrugada. O sistema de vigilância na casa de Hernandez mostra ele a sair mais cedo com uma arma. Ele disse também a alguém em casa que estava chateado e que não podia confiar em ninguém. Após apanhar Lloyd, Hernandez afirmou que estava zangado com ele, pois Lloyd havia falado com pessoas com quem Hernandez havia tido problemas durante a saída ao clube de strip. Após esta conversa entre os dois Lloyd enviou um sms à irmã a perguntar se ela havia visto com quem ele tinha saído. Quando a irmã lhe respondeu a perguntar quem era, Lloyd respondeu por volta às 3:22 da madrugada, “NFL” e um minuto depois voltou a enviar nova mensagem a dizer “só para que saibas”. Entre as 3:23 e as 3:27 trabalhadores do turno da noite no parque industrial afirmam ter ouvido tiros.” (tradução livre do que a acusação disse em tribunal disponibilizado pela ESPN”). Vejam o vídeo clicando na imagem abaixo.

Aaron Hernandez no Tribunal

O vídeo de Aaron Hernandez em tribunal a ser acusado formalmente
http://espn.go.com/video/clip?id=espn:9425975

O advogado de defesa de Hernandez pediu para que ele fosse solto sobre fiança alegando que as provas eram circunstanciais, pedido esse rejeitado pelo juiz fazendo com que até hoje Aaron Hernandez continue a aguardar julgamento em prisão.

O Futuro

Até ao julgamento pouco vai mudar na vida de Hernandez, e quanto ao resultado do mesmo só com o tempo iremos saber.

O que nós realmente sabemos é que um jovem morreu, e que a família deste não quer que o foco da investigação se perca no mediatismo da prisão de Hernandez. A família de Odin Lloyd apenas quer justiça e que o verdadeiro culpado seja condenado.

Sabemos também que a vida atribulada de Aaron Hernandes voltou a dar nova volta de 180º na direcção errada, mas desta vez de uma forma mais trágica que no passado, fazendo com que um jovem que os fãs da NFL ansiavam por ver durante muitos anos no “gridiron”, provavelmente nunca mais volte a ser um homem livre.

Este artigo é uma tradução com mais uns pózinhos do original publicado no Bleacher Report
http://bleacherreport.com/articles/1685469-complete-timeline-of-the-rise-fall-of-aaron-hernandez

About The Author

José Guia

Nascido da bela colheita de 1983 e criado no Algarve desde cedo comecei a praticar o futebol Europeu, joguei 13 anos federado no Silves Futebol Clube e sempre fui adepto da prática de desporto. Sou fã de várias modalidades para além do "soccer", mas foi em 2007 num belo ano que vivi em Lisboa, que comecei a conhecer o Futebol Americano, em conjunto com o meu grande amigo João Mestre tivemos a enorme felicidade de acompanhar a quase perfect season dos New England Patriots, infelizmente não desfrutamos da vitória no Superbowl mas começamos isso sim a desfrutar, apreciar e adorar este grande desporto que é o Futebol Americano. Como não poderia deixar de ser sou fã dos Patriots, não só por essa época em particular mas também por já gostar dos Boston Celtis (Basket) e da cidade de Boston em si. Hoje em dia costumo dizer aos meus amigos que sou Leão de coração e Patriota (Patriots) de alma.