Junior Galette Dispensado dos New Orleans Saints

João Malha 29 de Julho de 2015 Jogadores, NFL, Red Zone Comments
Junior Galette

Junior Galette Dispensado dos New Orleans Saints

E aí está mais uma vítima do seu comportamento. Depois do caso de Ray Rice que resultou no despedimento dos Baltimore Ravens, e dos casos de Adrian Peterson e Greg Hardy (que também saiu dos Carolina Panthers depois de um ano fora dos relvados), o defensive lineman dos New Orleans Saints, Junior Galette, líder em sacks da defesa da formação do Louisiana, foi dispensado devido aos problemas fora do campo.

Uma decisão que pode surpreender depois de Galette ter visto o seu contrato ser renovado há um ano, por números milionários. A verdade é que, de acordo com as fontes próximas da equipa que conquistou o Super Bowl em 2009, após a renovação do contrato, o mau feitio do defesa veio ao de cima, com problemas a acumularem-se. Alguns fora do campo, como a acusação de agressão a uma suposta companheira que viveria aprisionada na sua casa. Queixa que acabou por cair e que até hoje não mereceu castigo da NFL, ao contrário do que se verificou com Rice, Peterson ou Hardy, para citar alguns exemplos, os mais mediáticos.

Porém, apareceu um vídeo no Youtube (ver abaixo) há algumas semanas onde um indivíduo que parece ser o jogador dos Saints agride várias pessoas numa rixa numa praia. A equipa do sul nos EUA não esperou para ver se era ou não Galette, nem que a NFL tomasse alguma posição face ao vídeo, e foi a própria franquia quem denunciou o vídeo à NFL para que possa avaliá-lo e, caso se justifique, suspender o jogador.

Uma atitude pouco habitual se pensarmos noutros desportos, onde se tenta fazer de tudo para proteger os clubes e os seus interesses, independentemente da má postura fora dos campos dos seus atletas. Os Saints saem claramente prejudicados em termos financeiros pois terão que contar com os custos do jogador para o salary cap, quase seis milhões de dólares este ano e 12 milhões em 2016. Mas apesar disto levantar certamente mais um ano de muitas dores de cabeça na gestão do cap para o General Manager Mickey Loomis, a verdade é que os Saints preferiram preservar o balneário a ficar com um jogador problemático, que para além de poder ser suspenso pela sua má conduta fora dos relvados, ainda somou polémicas na equipa, primeiro numa luta física com um colega há um ano, para além de ter cumprido muito mal o seu de capitão (escolha dos colegas que os responsáveis técnicos não compreenderam).

Segundo as informações que transpiram dos Saints, rapidamente houve arrependimento da renovação do contrato e o acumular de casos e má postura profissional adivinhavam este desfecho. Não é de estranhar que vários ex-jogadores dos Saints, defesas da equipa vencedora do Super Bowl em 2009, tenham gozado com a dispensa em resposta às declarações do ano passado de Galette que dizia que a defesa dos Saints (foi a segunda pior da NFL) era melhor que a que foi campeã em 2009.

Sobram duas questões, quem poderá substituir Galette como o principal Pass Rusher da equipa? A escolha deverá recair no veterano Anthony Spencer, proveniente dos Cowboys, onde nessa função teve a melhor época da sua carreira, que o levou à única presença no Pro Bowl, com a curiosidade de ter sido treinado nesse ano precisamente por Rob Ryan, então treinador defensivo da formação de Dallas e que agora o levou para os Saints, onde desempenha igual função à que desempenhava no Texas; ou no rookie Hau’oli Kikaha, um pass rusher que não esteve no primeiro grupo de pass rushers do draft 2015, mas que foi escolhido na segunda ronda, e que é considerado por muitos como um atleta que deveria estar no tal grupo de elite de pass rushers que foi o centro das atenções do draft deste ano.

A outra questão é qual será o futuro de Galette? Pela sua qualidade dentro do campo, interessados não faltarão. Resta saber se alguém se arrisca tendo em conta o resto, particularmente o facto de poder falhar boa parte da época caso seja suspenso pela NFL. Algo que agradaria aos Saints pois é a única hipótese para poderem ver reduzido o impacto do jogador no cap deste ano e do próximo.

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!