Green Bay Packers: A Volta dos que Não Foram

Guilherme Cohen 17 de Julho de 2014 Equipas NFL, NFL Comments
Green Bay Packers

Green Bay Packers: A Volta dos que Não Foram

O Green Bay Packers teve na temporada passada um problema muito grande, quando na semana 9, contra o Chicago Bears, Aaron Rodgers se machucou e voltou a campo apenas na última rodada contra o mesmo time que ocasionou sua contusão na clavícula. Mas dois atletas fizeram falta em 2013 e podiam ajudar o Packers a ir mais longe.

Aaron Rodgers

Aaron Rodgers

Os “Cabeças de Queijo”, como são chamados os Packers, tiveram dois atletas contundidos que fizeram falta em certo momento: o running back DuJuan Harris e o cornerback Casey Hayward. Poderia citar outros, mas daqui a pouco você vai entender o motivo.

DuJuan Harris chegou em Green Bay em outubro de 2012, mas foi ativado no roster apenas em Dezembro. O ataque terrestre era completamente deficiente e o camisa 26 fez um resto de temporada espetacular, além de ter dado outra dimensão ao ataque, pois recebia passes e executava boas investidas pelo chão. O baixinho ficou de fora ano passado com uma contusão no joelho. Sua falta poderia ter sido sentida em maior escala, mas Eddie Lacy, até então novato, não deixou isso acontecer. O calouro foi um dos melhores corredores do ano passado e junto do veterano James Starks que também produziu bastante, formaram uma dupla de grandes números.

2014 poderia ser um ano sem espaço para Harris no time verde e amarelo, mas a sua multifuncionalidade, estatura e agilidade em curto espaço será um diferencial para a rotação do técnico Mike McCarthy. DuJuan pode entrar em situação de terceira para poucas jardas junto com Eddie Lacy, pois isso pode dar uma leitura bidimensional. Em jogadas de screen pass em shotgun ele é mais indicado do que o camisa 27 e Starks. A esperança para o ataque terrestre é que continue sendo um dos melhores da liga e para o aéreo será mais um alvo para dificultar a vida das defesas.

Falando em defesa o time tem nomes como Clay Matthews e Julius Peppers, mas na última temporada essa vertente tirava o sono dos torcedores. O Packers foi a terceira pior defesa em jardas totais, somando 6.404 jardas, além de ser o oitavo time que mais sofreu pontos. Mas estatísticas não valem muito, pois essa equipe tem a característica de ceder jardas, mas forçar turnovers, sendo esses roubos de bola acontecendo em poucas oportunidades em 2013. Falando especificamente dos cornerbacks, Tramon Williams e Sam Shields carregaram o piano marcando os recebedores. Ficou muita nitída a falta que Casey Hayward fez. Em 2012, o, na ocasião, novato foi o terceiro rookie defensivo do ano, sendo brilhante na temporada. Com sua contusão na parte posterior da coxa na semana 3, o veterano Jarrett Bush e os inexperientes Davon House, Micah Hyde tiveram que se revezar para cobrir a lacuna deixada por Hayward. O resultado foi catastrófico e muitos passes foram lançados nas costas desses três jogadores.

A boa notícia da volta do terceiro anista é a segurança no jogo aéreo que vai se reestabilizar. Sam Shields assinou uma renovação milionária e a experiência aliada à qualidade de Tramon Williams fará com que os recebedores estejam mais bem marcados. A chegada de Ha-ha Clinton Dix através do Draft e a permanência de Morgan Burnett farão com que as investidas no jogo aéreo tenham mais dificuldades para serem encaixadas. O Green Bay Packers tem tudo para chegar até a final de conferência e, se crescer durante a temporada, o Super Bowl não é utopia.

About The Author

Guilherme Cohen

Brasileiro, estudante de jornalismo, (ex) árbitro de futebol americano, 18 anos. Comecei a assistir o esporte aos 12 anos e me apaixonei por tudo que envolve o jogo. Hoje esse esporte corre em minhas veias. Pretendo em alguns anos levar algum projeto de programa para a TV no Brasil. Sou Packers, mas não sou clubista. Amo como Ray Lewis movia os Ravens e o acho mais do que um grande jogador.