Packers, Um Ano Depois: Linebackers

Hugo Teles 4 de Agosto de 2014 Equipas NFL, NFL Comments
Clay Matthews

Packers, Um Ano Depois: Linebackers

O objectivo primordial para uma boa época na Defesa de Green Bay Packers:

Clay Matthews precisa de não ter lesões e manter-se em  forma, o Pro Bowler que se mostrou como um Outside Linebacker de excelência nas suas primeiras quatro temporadas na NFL, teve na época passada uma serie de lesões que ameaçaram fazer ruir esta defesa. Também não tendo uma credível e consistente alternativa como Outside Linebacker na posição oposta no pass-rusher onde joga Matthews.

A última temporada, quando um dedo partido por duas vezes limitou Matthews a 11 jogos (e que o relegou para fora dos playoffs) reduziu bastante a sua eficácia. Nos OTAs e minicamp como medida de precaução e para auxiliar o processo de cicatrização, esteve parado. Nesta altura ainda está com treino condicionado e sempre acompanhado pelos médicos da equipa.

Os Packers esperam ter finalmente resolvido o problema que assolava a defesa por apenas ter um Outside Linebacker consistente, com a contratação de Julius Peppers, vindo dos Bears. Peppers que em Chigago jogava como Defensive End nos 4-3 dos Bears, em Green Bay tem treinado como Outside Linebacker na defesa 3-4 de Dom Capers. Peppers disse quando OTAs começaram que ele nunca teve um companheiro do calibre de Matthews.

Existem algumas dúvidas, pois Julius Peppers não vai para novo e já conta com 34 anos. Vamos ver o que vai fazer nesta defesa, sendo certo que em temporadas consecutivas teve dois dígitos de sacks (2011 e 2012) nos Bears. Deste modo é normal que o coaching Staff defensivo dos Packers o usem regularmente em muitos snaps.

Isso é porque Mike Neal é outro jogador híbrido que pode jogar como Outside Linebacker e também Defensive End. Ele tentará na próxima época fazer a melhor época de carreira. Neal conseguiu na época de 2013  5 sacks, a sua primeira interceptação de carreira e forçou também um fumble pela primeira vez desde seu ano de rookie em 2010. Perseguido por lesões nas suas três primeiras temporadas na NFL, Neal jogou em todos os jogos pela primeira vez na época passada.

Nick Perry é outro como Mike Neal. Passou mais tempo na enfermaria que a jogar e ele pretende mudar isso. Ele teve 3 sacks num jogo e meia temporada passada bem regular, até que partiu o pé o que o limitou todo o resto do tempo. Quando saudável, a escolha de primeiro round no ano de 2012, poderá ter um grande impacto.

A lista de opções adicionais de jovens valores na posição de Outside Linebacker conta ainda com Andy Mulumba, que veio para a equipa como um rookie undrafted há um ano atrás e terá a oportunidade de mostrar as melhorias no seu jogo nesta segunda temporada. Ele vai competir com um grupo onde inclui Nate Palmer escolhido no draft de 2013 na sexta ronda e com as escolhas do draft deste ano Carl Bradford escolhido na quarta ronda de Arizona State, além dos rookies undrafted Adrian Hubbard (Alabama) e Jayrone Elliott (Toledo).

Na posição de Inside linebacker A.J. Hawk e Brad Jones deverão ser as 2 escolhas primárias nos inícios de partida, com Jamari Lattimore, que renovou o seu contrato na offseason, como um free-agent. Lattimore serve sobretudo para precaver problemas de saúde.

A.J. Hawk perdeu apenas dois jogos por lesões em toda a sua carreira de oito anos, enquanto Jones perdeu toda a temporada passada com lesões na coxa e tornozelo.

Para desafiar os três primeiros está Sam Barrington, uma pick da sétima rodada em 2013. Principalmente foi usado com jogador nas special teams no seu ano de estreia. Barrington teve uma lesão no tendão na semana 9, mas até essa data tinha participado em todos os jogos.

Neste draft de 2014 na posição de Inside linebacker não havia muitas opções válidas daí os Packers não seleccionaram nenhum jogador nas primeiras sete rondas para essa posição, mas depois assinaram com Jake Doughty de (Utah State) e Joe Thomas de (South Carolina) como jogadores undrafted.

Restantes Artigos Desta Série

About The Author

Hugo Teles

Portuense, 33 anos, sempre gostei bastante dos desportos dos States, nos anos 90 com a NBA e agora mais recente acompanho NHL, MLB e continuo a acompanhar a NBA, mas o desporto mais entusiasmante sem duvida é o futebol Americano, não só NFL mas também o College e algo que nos proporciona espectáculos, fim-de-semana a fim-de-semana fantásticos: É um desporto que nos prega colados a Tv, Computador, Tablet ou qualquer equipamento que no qual estejamos a ver. Desligamos de tudo o resto, naquelas horas tudo o resto é superficial. É fascinante desde o primeiro minuto até ao último e de uma intensidade brutal sempre ou quase sempre dentro dos limites. Sou fã dos Packers, pela tradição que esta equipa tem, por não ser uma equipa das "Grandes Superfícies" e viver praticamente para a sua população em geral, não com o conceito lucrativo que este desporto envolve. E já agora é uma honra poder trabalhar e colaborar convosco sobre este desporto fantástico e Hollyoodesco.