Power Rankings 2013: A Análise

João Morão 5 de Setembro de 2013 NFL, Power Rankings Comments
Power Rankings

Power Rankings 2013: A Análise

Para quem não sabe os Power Rankings são a classificação teórica que se dá às equipas antes de a época começar. Isto é, em função de como as equipas se reforçam na Free Agency e no Draft e em função de como se comportam nos training camps e na preseason vai-se alterando o ranking da equipa, se esta vai ficando mais forte ou mais fraca (por saídas e lesões). Isto são os Power Rankings.

A boa notícia é que quando saem os últimos Power Rankings a temporada está quase a começar. A melhor noticia possível que podemos ter é que finalmente acabam de sair! Longe vão já os Power Rankings que saíram pós-draft e no mid-summer. Temos assim em definitivo os últimos antes de a época começar. Com base neles vamos então fazer uma análise crítica e ver se adivinhamos antes do kick-off da temporada 2013, quem vai ganhar, quem vai perder, e como vai acabar a classificação. Vamos seguir o exercício de dividir os Power Rankings por grupos assim como a nossa análise para facilidade e conforto do leitor.

Em frente para o primeiro grupo:

1º O Grupo da Frente: Território: Paradise

1º San Francisco 49ers
2º Denver Broncos
3º Seattle Seahawks
4º Atlanta Falcons
5º Cincinnati Bengals
6º Baltimore Ravens
7º Houston Texans
8º New England Patriots
9º Green Bay Packers

Super Bowl Contenders – A Invencível Armada!

Análise: Se têm o vício do jogo e das apostas desportivas, metam aqui o vosso dinheiro, pois é quase certo que será deste leque de equipas que vai sair o vencedor. Se eu apostasse (coisa que não faço) era possivelmente numa destas equipas que metia o dinheiro. Bem para ser completamente honesto, deixava uma equipa de fora. Não creio que os campeõesRavens pertençam a esta elite. Se fosse eu a fazer os power rankings da NFL, colocaria os Baltimore em 9º lugar e no grupo debaixo. Entre saídas e lesões perderam jogadores estruturais de mais (Reed, Boldin, Lewis, Pitta Etc..) para serem verdadeiramente contenders.

Depois ainda dentro deste grupo também invertia a ordem das equipas da AFC. Em primeiro colocava os Houston Texans (estão com uma defesa e ataque demolidores e trazem do ano passado o habito de ganhar), em 2º Cincinnati Bengls (repito aqui o mesmo que disse para os Texans mas é uma equipa mais discreta) em 3º Denver Broncos (apesar de terem em Peyton Manning um Quarterback muito melhor que as outras duas equipas, perderam jogadores importantes e não têm uma equipa tão equilibrada a defender e não têm profundidade no roster) e finalmente em 4º os New England Patriots (podem melhorar se o Presidente Obama der um indulto a Aaron Hernandez e também com o anunciado retorno de Rob Gronkowski).

Já na NFC apenas colocava os sempre perigosos e competitivos Green Bay Packers à frente dos Atlanta Falcons que este ano com um calendário bem mais difícil e serão para mim a grande desilusão deste grupo da frente. Finalmente o duelo que todos esperam: 49ers e Seahawks. O frente a frente das duas equipas que emanam a maior rivalidade neste momento na liga e que são apontadas com os mais prováveis potencias vencedores do Super Bowl deste ano. Na minha leitura só um incauto acredita que o vencedor da NFC sairá dos confrontos directos que estas duas equipas vão ter na NFC West. Todos os jogos entre todas as equipas naquela fortíssima divisão e os calendários das duas equipas vão ser determinantes para termos o vencedor final. Como ambas as equipas têm rosters magníficos, creio que o factor de desequilíbrio e que marcará a grande diferença virá dos 49ers terem um calendário mais fácil que os Seahawks. Por este facto, acho legitimo que seja dado aos 49ers o primeiro lugar nos Power Rankings e o favoritismo máximo na época de 2013.

Mas por favor não fiquem com a ideia que quem ganhar a NFC ganha o Super Bowl. Obviamente que não é assim. Não será assim este ano. E na verdade nunca foi. O entusiasmo da NFL reside não apenas na clareza táctica, na verdade desportiva, mas essencialmente na incerteza até ao último segundo do jogo de quem vai ganhar. Mas para mim serão os 49ers, Seahawks ou Green Bay que irão à final com os Houston Texans. E depois este ano não será excepção na incerteza de quem, finalmente leva a taça para casa.

2º O Grupo do Meio: Território: Middle Earth

10º Washington Redskins
11º Indianapolis Colts
12º Chicago Bears
13º Minnesota Vikings
14º Miami Dolphins
15º Dallas Cowboys
16º New York Giants
17º St. Louis Rams
18º New Orleans Saints
19º Carolina Panthers

No meio pode estar a virtude. Potenciais Surpresas (Para o bem e para o mal).

Análise: Podemos começar esta análise a falar do grupo de cima a quem pomposamente dei o título de a Invencível Armada. Isto porque junta as equipas actualmente mais fortes da NFL. O facto é que quem sabe de história sabe que a Invencível Armada perdeu a batalha. E outro facto é que quem pode mandar as equipas de cima ao fundo, quanto a mim, está neste segundo grupo. A estes factos podemos ainda acrescentar os feitos heróicos da Middle Earth, relatados por Tolkien no Senhor dos Anéis e que podem ter aqui correspondência. Quem sabe se temos aqui equipas que à partida seriam mais fracas, mas que se superam e derrotam forças maiores? Eu acho bem possível.

Nesse grupo de potenciais finalistas e vencedores do Super Bowl incluo os Redskins (muito dependentes do comportamento e forma física de Robert Griffin III), os Colts (ibidem para Andrew Luck), os New York Giants sempre a correr por fora, mas sempre uma força máxima a levar em conta se chegarem aos play-offs e os New Orleans Saints (se conseguirem dar um volta na defesa, sobre a batuta do retornado Sean Peyton). A meio termo, temos os Chicago Bears, Minnesota Vikings e St. Louis Rams, muito dependentes da performance dos seus Quarterbacks (Cutler; Ponder e Bradford respectivamente) e do sangue novo injectado nas equipas (e em termos de sangue novo, não é por acaso que estas equipas foram consideradas as vencedoras nas escolhas do Draft). Neste grupo claramente overrated os Miami Dolphins, que, quanto a mim, não merecem estar aqui, mas sim no grupo debaixo (e no grupo debaixo não deveriam figurar, nem como potencial surpresa), junto com as incógnitas que são os Cowboys e Panthers, ambas as equipas com uma boa formação, grandes jogadores mas este ainda não será este ano que vão fazer alguma coisa pois habitam divisões difíceis demais para sequer chegarem aos play-offs.

3º O Grupo de Trás: Território: The Wastelands

20º Pittsburgh Steelers
21º Detroit Lions
22º San Diego Chargers
23º Tampa Bay Buccaneers
24º Cleveland Browns
25º Arizona Cardinals
26º Philadelphia Eagles
27º Kansas City Chiefs

Renegados à procura da terra prometida.

Análise: Quem já viu um filme do Clint Eastwood sabe bem que os renegados são tramados. E este grupo está cheio de renegados que podem tramar a vida a muita gente. Podem mesmo e porque não, até ganhar o Super Bowl. Bem… Não todos! Também não vamos exagerar. Mas os Steelers de Roethlisberger claramente não pertencem a este grupo e deviam estar mais acima. Estamos a falar de uma equipa que pode efectivamente ganhar a sua divisão e ganhar o Super Bowl. Depois temos uma serie de underdogs mas extremamente raivosos! Os Detroit Lions, os Cleveland Browns, Tampa Bay, os Arizona Cardinals e mesmo (mas menos perigosos) os Philadelphia Eagles. Todas estas são equipas que podem surgir como dark horses, fazerem uma temporada excelente e deixar-nos a todos de boca aberta. Em resumo: muita atenção que deste grupo de renegados pode muito bem surgir uma surpresa e termos aqui um campeão. Quando olho para este leque de equipas e os vejo classificados tão baixo nos rankings, relembro-me mais uma vez, aquilo que este jogo me obriga a recordar quase permanentemente: o brutalmente competitivo que ele é!

Depois os “outros” deste grupo que merecem tratamento especial: primeiro os Kansas City Chiefs e o facto de estarem em 27º lugar é quase criminoso. Uma equipa que tem seis (!) pro bowler todos no top 100. Que adicionou este ano, na free agency, Alex Smith a quarterback, que é um excelente gestor de jogo. E além de tudo isto contratou Andy Reid para Head Coach! Olhando tudo isto se calhar devia estar era no primeiro grupo em lugar dos Ravens. O único ponto que justifica esta posição, creio que é o peso da péssima temporada de 2012 que os puxou para os lugares de baixo do ranking. “but make no mistake” para o ano estarão bem lá em cima! Já em sentido inverso caminha a equipa de San Diego. Têm tido comportamentos e resultados decepcionantes nos últimos anos. Essa mesma decepção confirmou-se na pre-season. Creio que este ano vai ser o início do ano zero dos Chargers que os vai levar a descer mais um patamar para uma necessária visita ao inferno, ond,e de uma vez por todas, a ownership vai perceber a necessidade que existe em renovar a fundo o franchise.

4º O Grupo do Fim: Território: The Killing Fields

28º Tennessee Titans
29º Buffalo Bills
30º New York Jets
31º Jacksonville Jaguars
32º Oakland Raiders

Welcome to American Football Hell!

Análise: Aqui só pode haver uma surpresa os Buffalo Bills. Melhor ainda. Não há surpresa nenhuma. Que raio é que os Bills estão a fazer aqui quando deviam estar no grupo de cima e com sério potencialidade de fazer mossa em todas as outras equipas? Vocês já viram bem aquela defesa com aqueles Defensive Ends? São do melhor que existe no jogo! Mas aahh! É verdade! O lugar de quarterback é para ser disputado entre o rookie EJ Manuel e Kelvin Kolb (que parece que se aleijou de vez). Agora sim! Já me lembro porque estão para baixo. Mas mesmo assim sejamos honestos: não deviam estar tão baixo e junto a tão infame companhia. Porque todos os outros são efectivamente maus. Acredito mesmo que os Jets andam a subornar alguém para não estar em último .

Mas analisando este bando final de enjeitados do ranking, Tennessee dizem que tem boa equipa, mas perdeu o crédito depois dos últimos anos, onde fez muitas promessas e conseguiu poucos resultados. São os melhores dos maus. Mas mesmo assim não se safam de serem maus. Depois os Jaguares que são da mesma divisão dos Titans e criam um claro nivelamento por baixo na competitividade da AFC South. Os Jaguares são uma equipa com alguns jogadores interessantes mas onde Gus Bradley tem um longo trabalho de reconstrução pela frente. Bom mesmo seria que em 2014 definitivamente decidissem trazer a equipa para a Europa. Finalmente os Raiders, que se pudessem este ano não jogavam e metiam um letreiro à porta do estádio a dizer: “2013: fechado para remodelação total. Voltamos em 2014”. Isto porque depois do furacão Al Davis, em 2014 já terão picks de draft e algum cap space para gastar.

Conclusão

Depois da análise dos Power Rankings uma nota final. Este artigo está a ser acabado no dia 05 de Setembro de 2013. Dia oficial do início da temporada que começa com um grande jogo dos Broncos contra os Ravens, daqui a algumas horas. Assim e de uma vez afirmo: chega de previsões, rankings e projecções e vamos ao que interessa! Como diriam na Antiguidade Clássica na Grécia ou em Roma: “Let the games begin!” Que os heróis entrem hoje na arena e que lá mais para o fim do ano, um deles, apenas um, seja elevado a divindade com um anel no dedo e um trofeu Lombardi nas mãos.

About The Author

João Morão

As causas são múltiplas: Primeiro em 1998 colocado pela minha empresa na Alemanha, passei alguns fins-de-semana a jogar flag futebol numa base militar americana maioritariamente com a boa gente de Seattle. Desta altura vem o gosto. Depois em 2005 em Jackson Hole (Wyoming) assisti em directo à transmissão do Super Bowl XL dos meus Seahawks contra os Steelers. Foi um jogo de má memória e de pior arbitragem que me deixou um amargo permitido apenas pela perda de algo de que gostamos muito. Desta altura vem a militância. Finalmente: A desilusão e desgaste causado pelas assimetrias, manobras, golpadas e falta de fair-play do soccer, viraram-me definitivamente para um desporto mais justo, mais sério, mais competitivo, mais brutal (é certo), mas de maior entrega e de incomparavelmente maior emoção: O Futebol Americano. Nas horas “vagas” sou pai de 4 filhos (Um deles é dos Giants vai-se lá saber porquê!?).