Up & Down NFL: Week 5

Pedro Nuno Silva 11 de Outubro de 2012 Up & Down Comments
Up&Down - Week 5

Up&Down – Week 5

Up

San Francisco 49ers (4-1)

79-3! Este é o registo acumulado dos resultados dos San Francisco 49ers nas 2 últimas semanas. O percalço sofrido no jogo com os Minnesota Vikings já lá vai e a equipa de San Francisco mostrou-se imperial e categórica nos dois embates seguintes, curiosamente contra 2 equipas da AFC East. O que diz muito da classe do conjunto de Jim Harbaugh e, em contraponto, também diz muito da falta dela dos 2 últimos adversários dos Niners.

Chicago Bears (4-1)

Depois da contundente vitória na semana 4, em Arlington, contra os Dallas Cowboys e apesar dos amuos tipo “menino mimado” de Jay Cuttler com a sua ofensive line e o seu coordenador ofensivo, os Chicago Bears foram passear ao sol da Florida, despachando o serviço de forma fácil e eficiente contra uns desastrados Jacksonville Jaguars (vitória por esclarecedores 41-3). Quando a turbulência parecia ir instalar-se desastrosamente no Soldier Field, tudo voltou ao sítio e Chicago passa a liderar a NFC North em comandita com os notáveis e surpreendentes Minnesota Vikings.

Indianapolis Colts (2-2)

Numa divisão totalmente dominada pelos favoritíssimos Houston Texans (5-0), pouco espaço sobra para falarmos dos outros contendores, a não ser na coluna do Down. Mas desta vez é da mais elementar justiça darmos o destaque devido à equipa de Andrew Luck. Após uma semana marcada pela anúncio trágico do afastamento (temporário?) do treinador Chuck Pagano devido a doença grave, o jogo com os Green Bay Packers parecia ter tudo para ser mais uma má notícia para os adeptos presentes no Lucas Oil Stadium. E o resultado ao intervalo (21-3 a favor dos Packers) parecia confirmar os piores receios. Mas Andrew Luck (31/56, 362 jardas, 2 TD’s e 1 intercepção) com a ajuda do “velho” Reggie Wayne (13 recepções, 212 jardas e 1 TD), trataram de mostrar a Aaron Rodgers e companhia que os jogos resolvem-se em 60 minutos. A vitória dos Indianapolis Colts por 30-27 foi uma das grandes surpresas da semana 5, mas apenas para quem não viu o jogo. E o melhor é que está tudo em aberto para Indianapolis na luta por uma vaga nos playoffs, ainda que seja através de um wildcard seed.

Down

Cincinnati Bengals (3-2)

Terá sido o resultado mais surpreendente do último fim-de-semana. Não duvidamos do voluntarismo dos Miami Dolphins, com o valoroso Reggie Bush e o esteio imparável na defesa que tem sido Cameron Wake ou mesmo a agradável surpresa que Ryan Tannehill tem sido no seu primeiro ano como QB. Mas na memória de todos ainda estão os fantásticos Cincinnati Bengals de 2011, com Andy Dalton, A.J.Green e o acrobático Jerome Simpson, agora nos Vikings e, por isso, era de todo imprevisível que fossem derrotados em casa por uns, apesar de tudo, bem acessíveis Dolphins. A derrota e a baixa pontuação das duas equipas revela uma coisa: desta vez a tão elogiada defesa dos Bengals foi derrotada pela linha defensiva de Miami. Se Marvin Lewis pretende levar de novo a sua equipa aos playoffs não pode perder jogos destes. Muito menos estando na mesma divisão de Ravens e Steelers.

NY Jets (2-3)

Não queremos ser mauzinhos, mas os NY Jets não nos facilitam a intenção de virarmos a nossa atenção para outros nesta nossa crónica. Não é que perder em casa contra a muito possivelmente melhor equipa da AFC (os Houston Texans), seja algo de inusitado ou anormal. Mas é antes a terrível imagem que a equipa deixa de jogo para jogo que impressiona e desilude. As recentes notícias de que falam da hipótese dos Jets contratarem o há muito desempregado e desesperado WR Terrell Owens, mais do que uma decisão lógica, em face da ausência definitiva de Santonio Holmes da equipa, é bem o espelho da forma desleixada e negligente como o roster dos verdes de NY foi montado para esta época.

Buffalo Bils (2-3)

Os Buffalo Bills andavam a ameaçar… Esta semana conseguiram mesmo a nomeação para o trio de Downs. Não vou sequer falar dos milhões gastos em contratações nesta época, sobretudo para a defesa, com grande relevo para o Super Star Mario Williams que custou “apenas” 100 milhões de dólares… Ficamo-nos pelo registo defensivo da equipa nos últimos 2 jogos no que se refere a pontos sofridos: 97 pontos (52 contra os New England Patriots e 45 contra os San Francisco 49ers)! Ou seja, quase 50 pontos por jogo! Não é preciso dizer mais nada, pois não?

About The Author

Pedro Nuno Silva

Português. Duriense de nascimento. Tripeiro de coração. Minhoto por adopção. Numa palavra: nortenho. Ou seja, tinha tudo para ser um ignorante sobre futebol americano. Mas a 2 de Fevereiro de 2009 tudo mudou graças a cerca de 2 minutos de um jogo que era até aí um mistério insondável! Os culpados? Todos os jogadores dos Steelers e dos Cardinals. Mas, em particular, Ben Roethlisberger e Santonio Holmes e aquele touchdown a 30 segundos do final do jogo num equilíbrio improvável e que desafiou as leis da física e se pode colocar ao lado de um qualquer volteio do mais virtuoso bailarino do Bolshoi. A paixão pelo jogo cresceu de tal forma que hoje olho à minha volta e acho estranha tanta algazarra por causa das vitórias do F.C.Porto, da nossa seleccção ou das birras do CR7. Definitivamente tornei-me num alien em pleno coração do Alto Minho!