No Huddle: NFL 2015 Week 2 TNF

João Malha 18 de Setembro de 2015 Análise Jogos NFL, NFL Comments
Denver Broncos

No Huddle: NFL 2015 Week 2 TNF

Que bela maneira de começar a Week 2 da NFL. Grande jogo! A luta pela liderança da AFC West. As defesas dominaram todo o jogo e acabaram por decidi-lo… com uma ajuda (inesperada) de Peyton Manning.

Denver Broncos – 31 @ Kansas City Chiefs – 24

A discussão sobre se o braço de Peyton Manning já não tem a força de outrora vai-se prolongar mais uma semana, mas a verdade é que depois de uma primeira parte sofrível, o veterano QB conseguiu ganhar ritmo suficiente para terminar o jogo com três passes para TD num total de 256 jardas de passe. O problema mesmo poderá ser, mais do que os braços, as pernas de Manning. Muito pouca mobilidade (nunca teve muita) que o fizeram parecer perdido em vários lances quando pressionado. Claro que jogar contra a DL dos Chiefs não é fácil. Justin Houston conseguiu mais dois sacks para a sua conta pessoal e já leva oito jogos seguidos a somar pelo menos um sack ao QB adversário.

Ajuda muito o excelente leque de receivers ao seu dispor, com Thomas e Sanders a conseguirem 203 das 256 jardas de passe de Manning na última noite. Mas ter sete sacks em dois jogos (a OL dos Broncos também não tem sido brilhante, obviamente, e pela frente tiveram duas DL fortíssimas) diz bem dessa dificuldade para escapar à pressão adversária… E muita sorte tiveram os Broncos em vários momentos, pois passes mal feitos de Manning quase levaram a mais 3 ou 4 interceções e não apenas uma, como se verificou (mais uma para o rookie CB Marcus Peters, duas em dois jogos. Já para não falar de diversos passes cortados. TREMENDO!).

Valeu a ineficácia dos Chiefs. Cinco turnovers (duas interceções e três fumbles, todos perdidos) foram fatais. Estar a ganhar por sete pontos a um minuto do fim e conseguir perder por sete pontos é obra. Um fumble de Jamaal Charles (o segundo no jogo, onde conseguiu um TD e 125 jardas de corrida. Números fantásticos… não houvessem os Fumbles que determinaram a derrota da sua equipa), após o TD de Sanders que empatou o jogo, resolveu a contenda. Poucos esperariam este desfecho quando tudo apontava para Overtime. Continua o drama de Alex Smith não conseguir ligar o passe para os seus wide receivers (mais de um ano sem um único passe para TD para jogadores desta posição). E isso é fatal para as ambições da equipa. Smith é fiável, seguro, não arrisca muito e talvez seja esse problema que não permite aos Chiefs serem um real contender. Dois TD no running game e uma pick six foi o pecúlio de pontos (mais um FG) dos Chiefs. Muito curto!

E em sete tentativas de conseguir a conversão do third down, Smith conseguiu 0! Repito 0!! Ou seja, os Chiefs não conseguiram a conversão de um third down em todo o jogo! Diz muito da ineficácia ofensiva da equipa de Andy Reid. Mas também diz muito da defesa dos Broncos. Simplesmente brilhante. Capaz de concorrer com a dos Seahawks que dominou a Liga nas últimas duas épocas. Em dois jogos em 2015, a defesa de Denver permitiu apenas 308 jardas de passe, conseguiu quatro interceções e um passer rating de 45.1 aos QB adversários. Wade Phillips já conseguiu 2 INT, três recuperações de fumbles, quatro sacks e o TD que deu a vitória esta madrugada no Kansas. A tudo isso juntamos uma dupla de CB fantástica, com Aquib Talib e Chris Harris em grande forma, com o primeiro a somar já duas INT, uma delas para TD.

E se os Broncos passassem a ser um contender devido à sua defesa em vez do seu ataque??

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!