Tailgate To Heaven

Paulo Pereira 9 de Setembro de 2012 Comentários Desligados
TailgateToHeaven2
Overall Score
3

Informação Histórica

Qualidade Escrita

Interesse

Aprendizagem

Preço

É uma pergunta comum a todos aqueles que, quando confrontados com o interesse de alguém no futebol americano, se entreolham, com ar céptico, como se vissem um espécime em vias de extinção. As perguntas, não formuladas, são disparadas mentalmente. São redundantes: o que atrai num jogo em que os homens, de enorme envergadura física, usam capacetes e vestem calças justas e ridículas? São dúvidas que nunca serão dissipadas. A mera menção do desconforto numa pergunta dessas é o sinal de que, pese a enorme lista de atractivos que o futebol americano tem, muita gente nunca conseguirá visualizar a beleza do desporto. As jogadas, coreografadas até ao mais ínfimo pormenor, como se duma apresentação de ballet se tratasse. Os movimentos graciosos, culminando em verdadeiras manifestações de felina elasticidade. As proezas atléticas, rivalizando com as que se vêem, de 4 em 4 anos, nos Jogos Olímpicos. Mas, para um punhado de detractores, existe sempre o oposto. A pretensa brutalidade. O caos. A aparente ausência de táctica.

Tailgate To Heaven

Capa do Tailgate To Heaven

Para cada um desses existe uma quantidade infindável de adoradores, dispostos a tudo para manterem a pulsão activa. Porque é disso que se trata. Um vício. Enriquecedor, mas sempre carenciado de novas emoções.

“Conheci” Adam Goldstein nas deambulações típicas do fã da NFL, que esgravata cada site à procura de informações. Um dia colidi com o subsidiário europeu do site oficial da NFL. O www.nfluk.com, onde o seu blog tem visitas a rondar os milhares, mensalmente. Escritor regular noutro site desportivo, o www.sport.co.uk, manifesta um carinho especial pelos Chicago Bears, de quem se assume fã incondicional e empedernido. Foi por isso com surpresa – posteriormente transformada em inveja – que li que ele tinha ido atrás do sonho. Licença sabática, um ano de ausência, passaporte em ordem e passagem para os Estados Unidos. Para quê? Para unir duas paixões. A da escrita e a do futebol americano, condensando tudo num livro que pretende ser uma abordagem diferente do fenómeno desportivo. O título é sugestivo. “Tailgate to Heaven” mergulha no fenómeno das festas espontâneas dos adeptos, antes dos jogos, numa comunhão genuína de paixão clubista e rivalidades [quase] sempre sadias, não descurando a acção dentro de campo. O livro, um calhamaço de 317 páginas, lê-se dum fôlego, mal entremos no território da descrição da viagem e dos imprevistos físicos que ele enfrentou. Mais do que uma epopeia (imaginem a imensidão territorial dos Estados Unidos, com Adam a concretizar o desejo de ver um jogo de cada equipa da NFL, no seu próprio estádio, para perceberem bem o grau de planeamento que foi necessário) foi o culminar de um sonho. Mas, aviso antecipadamente, caso alguém pretenda ler o livro, que o final nos deixa um amargo de boca. Aquela sensação de frustração por não termos sido, nós próprios, intervenientes numa “road trip” deste género. Quem sabe, um dia…

Para aqueles interessados em adquirir um exemplar, nada mais fácil. Basta preparar o cartão de crédito, clicar num dos imensos sites disponíveis, e efectuar a transacção. Recomendo, pela ausência de portes, o www.bookdepository.com. Ficou-me pela “módica” quantia de 20,2 euros. Demorou 9 dias úteis a chegar.

A sinopse, na língua materna do autor:

“This title provides an outsider's take on American football. It delves deep into fandom, tailgating, and the action on the field to show why people love football as much as they do. It combines the road trip and sports genres into an irreverent and provocative cultural study. It demonstrates how a British fan comes to terms with his very American obsession. Despite a global recession, Adam Goldstein felt 2008 was the perfect time to invest in his lifelong passion. He sold his flat and left his job and his girlfriend in London for American football. His goal was to achieve what no other American football fan has accomplished: attend one live National Football League (NFL) game, including those in London and Canada, at every NFL stadium during the regular season. He travelled over 65,000 miles to watch 40 American football games in 18 weeks to experience and understand the phenomenal appeal of that classic American pastime, the tailgate party. He drove from stadium to stadium, tailgate to tailgate, sometimes 800 miles a day, digesting everything that American football could serve up. He met players and extreme fans alike and was party to surreal pregame rituals while absorbing the rich cultural differences of each part of the country. During his football odyssey, a grueling yet rewarding quest, he compared sports traditions and fandom in the United Kingdom and the United States, and in the process of football self-discovery, he found himself often embraced by NFL fans across the continent, as if he had the key that unlocked the very meaning of life. “Tailgate to Heaven” is a humorous, moving, and inspiring story about how nothing closes the cultural gap as love of the game and camaraderie.”

Links

Site do Livro: http://www.tailgatetoheaven.com

About The Author

Paulo Pereira

O meu epitáfio, um dia mais tarde, poderá dizer: “aqui jaz Paulo Pereira, junkie em futebol americano”. A realidade é mesmo essa. Sou viciado. Renascido em 2008, quando por mero acaso apanhei o Super Bowl dos Steelers/Cardinals, fiz um reset em [quase] todos os meus dogmas. Aquele desporto estranho, jogado de capacete, entranhou-se no meu ADN, assumindo-se como parte integrante da minha personalidade. Adepto dos Vikings por gostar, simplesmente, de jogadores que desafiam os limites. Brett Favre entra nessa categoria: A de MITO.

Comments are closed.