Chuva de lesões entre as estrelas da NFL em 2017

João Malha 13 de Outubro de 2017 Análises, Equipas NFL, Jogadores, NFL Comentários Desligados
O defesa dos Texans é uma das baixas de peso da NFL 2017. Foto: Michael Ciaglo/Houston Chronicle

Todos os anos somos confrontados com uma chuva de lesões na NFL. Faz parte de um jogo tão físico e com tanto confronto corporal. Porém, este talvez seja dos anos em que mais estrelas estão a ficar de fora para o resto da temporada. Uma pena para quem gosta do jogo, e acima de tudo para os fãs das equipas que têm sofrido estas baixas…

Após o arranque da Week 6 da NFL, estes são os grandes destaques dos jogadores com lesões graves, que ditam o seu afastamento para a época ou por grande período dela:

David Johnson (Arizona Cardinals) - Lesionado num pulso, o grande responsável do sucesso dos Cardinals em 2016, só deverá voltar na altura do Thanksgiving, o que deixa o RB de fora durante grande parte do ano.

Greg Olsen (Carolina Panthers) - O TE dos Panthers é baixa de peso para o ataque de Cam Newton. Uma lesão num pé deixa-o de fora até à Week 10, na melhor das hipóteses. E agora Luke Kuechly, o melhor defesa da equipa, sofreu uma concussão, uma de muitas nos últimos anos, o que o deverá atirar para fora dos relvados várias semanas.

Tyler Eifert (Cincinnati Bengals) – Uma importante arma ofensiva para Andy Dalton que vai falhar o resto da época. Uma lesão nas costas deixa o TE de fora.

Haloti Ngata (Detroit Lions) - O veterano DL vai estar quatro meses de fora devido a uma lesão nos bícepes. Sem dúvida, uma perda importante para a defesa da equipa dos Lions.

JJ Watt (Houston Texans) - Para muitos o melhor defesa da NFL, o linebacker dos Texans não volta a jogar este ano. Uma fratura da tíbia obrigará a longa recuperação, com Watt apenas a poder voltar a treinar em plena preseason 2018.

Eric Berry (Kansas City Chiefs) - Outro defesa de relevo da NFL que falha a época. Um dos melhores safeties da NFL lesionou-se no jogo da abertura da NFL e ficará seis meses de fora após romper o tendão de Aquiles.

Spencer Ware (Kansas City Chiefs) - Seria o indiscutível como RB dos Chiefs mas uma lesão no joelho faz com que Ware perca todo o ano, nem sequer tendo tido oportunidade de jogar um snap em 2017. Com isso beneficiou o rookie Kareem Hunt que é a grande revelação da NFL até ao momento.

Ryan Tannehill (Miami Dolphins) - Outro para quem o ano acabou antes de começar. Também o joelho a impedir o QB dos Dolphins de dar o seu contributo, o que se tem sentido e bem na produção da equipa de Miami.

Dalvin Cook (Minnesota Vikings) - O rookie RB era um dos nomes sobre quem recaíam grandes expectativas em 2017. Terá de esperar um ano para se estrear depois de ter rompido os ligamentos.

Julian Edelman (New England Patriots) - O alvo preferido de Tom Brady rompeu os ligamentos na preseason e assim não terá oportunidade de jogar em 2017, depois de ter sido decisivo no título de 2016.

Nick Farley (New Orleans Saints) - Depois de ter renascido em New Orleans, assinou um contrato de longa duração com os Saints, para apenas uma semana depois terminar a época e talvez a carreira devido a um problema no coração.

Brandon Marshall (New York Giants) - O veterano receiver, que trocou de equipas na Big Apple, dos Jets para os Giants, não teve muita sorte ao ver uma lesão no tornozelo atirá-lo para fora de combate para o que falta da época.

Odell Beckham Jr. (New York Giants) - Tal como o seu colega de equipa, o mais entusiasmante receiver da NFL está de fora o resto do ano, igualmente por uma lesão no tornozelo. Sem dúvida que a NFL será menos espectacular em 2017 com a sua ausência. E Eli Manning estará a pensar quando acaba o ano pois dificilmente, sem os seus principais receivers, as coisas irão melhorar depois de cinco derrotas de seguida a abrir.

About The Author

João Malha

Profissional da área de comunicação e marketing, e sempre ligado ao desporto, sempre me fascinou o conceito de showbiz dos norte-americanos no que toca à promoção de qualquer espectáculo desportivo. Quando em 2003, a SportTv transmitiu pela primeira vez o Super Bowl, com estrondosa vitória dos Buccaneers de John Gruden sobre os Raiders, a curiosidade cresceu e ano após anos comecei a seguir as transmissões do maior evento desportivo mundial. Mas como em tudo na vida (pelo menos na minha forma de estar), é preciso um motivo mais forte para nos agarrarmos às coisas. Uma paixão que nos alimenta. E foi isso que aconteceu em 2010, aquando da final de Miami, ganha pelos Saints frente aos Colts do lendário Peyton Manning. Nesse dia senti finalmente que aquela era a minha equipa! E o aparecimento da ESPN America ajudou a não mais largar este desporto espectacular, que sigo semanalmente. Na Week 1 da temporada 2012/2013, cumpri o sonho de ir ver um jogo dos Saints ao vivo, ao Mercedes-Benz Superdome. Não vi os Saints vencerem, mas quem sabe se não terei a oportunidade de dizer que assisti ao primeiro jogo na NFL de um dos maiores QB’s da sua história, Robert Griffin III. Ver os Saints ao vivo foi uma experiência única que me faz olhar para o desporto com outros olhos. Quero saber mais e mais sobre o jogo, a sua história, lendas, regras, tácticas, etc. Let’s play ball!!!!

barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher barbour pas cher golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi golden goose saldi doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher doudoune moncler pas cher moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online moncler outlet online